Criador da internet teme a perda de todas as nossas memórias digitais no futuro

O criador da internet vem promovendo a ideia de todos preservemos tudo o que temos de software ou hardware em servidores da nuvem, para que as memórias sejam acessíveis para as novas gerações.

Todos os documentos e imagens que temos guardados em nossos computadores podem se perder com o tempo. Esta, no momento, é a maior preocupação de Vint Cerf, um dos pais da internet e atualmente vice-presidente do Google. Em entrevista à BBC, o ícone da grande rede acha que esse problema pode acontecer na medida que hardwares e softwares, atuais e já ultrapassados, tornem-se obsoletos.

Cerf teme que as próximas gerações disponham de pouco ou nenhum registro do século 21 enquanto a humanidade adentra o que ele chama de "idade negra" do mundo digital. Segundo sua teoria, nossas fotos de família e documentos importantes de trabalho, salvos em arquivos digitais na nuvem ou em HD, correm risco de extinção porque, com o constante avanço da tecnologia, podem se tornar "invisíveis".

"Eu me preocupo muito com isso", disse o veterano à BBC. "Velhos formatos de documentos que criamos ou apresentações podem não ser lidas por novas versões de software porque a compatibilidade retroativa nem sempre está garantida".

O criador da internet vem promovendo a ideia de todos preservemos tudo o que temos de software ou hardware em servidores da nuvem, para que as memórias sejam acessíveis para as novas gerações.

Vint Cerf acha que é preciso preservar todos os programas, arquivos e hardwares já feitos no mundo, para que nunca fiquem obsoletos. Mais um ou menos como um museu digital, com servidores na nuvem, para que as memórias sejam acessadas no futuro.

A solução, segundo ele, é "tirar uma fotografia" do conteúdo digital, da sua aplicação e do sistema operacional juntos, com uma descrição do hardware, e preservar tudo isso. "Essa fotografia vai recriar o passado no futuro", diz Cerf.

Fonte: O Globo