Criança de 5 anos sobrevive a queda do Airbus310 no Índico

O avião da companhia Yemenia, vinha de Sanaa, no Iêmen, rumo a Comores, com 153 pessoas

Uma criança de 5 anos foi retirada viva do Oceano Índico nesta segunda-feira (30), depois da queda de um avião Airbus 310 próximo às Ilhas Comores, segundo as autoridades aeroportuárias. Destroços e corpos também já foram encontrados.

O avião da companhia Yemenia, vinha de Sanaa, no Iêmen, rumo a Comores, com 153 pessoas a bordo.

A criança foi resgatada de barco, disse Halidi Ahmed Abdou, médico do hospital.

Hadji Ali, director do aeroporto internacional de Moroni, em Comores, disse que, além da criança, foram resgatados cinco corpos de vítimas.

De acordo com Mohammad al-Sumairi, da companhia aérea, as operações de buscas são difíceis por causa das más condições metereorológicas. "Um mar agitado e um vento forte dificultam os trabalhos de buscas e resgate", afirmou.

Segundo Hadji, barcos de vários tipos, inclusive de pescadores, rumaram para o local do acidente e ajudam nas operações de resgate. ?Todos os nossos recursos estão sendo enviados para o local, inclusive barcos de pescadores?, afirmou.

Dois aviões militares e um navio franceses deixaram as ilhas de Reunião e Mayotte, no oceano Índico, para ajudar nas buscas.

66 franceses

O Airbus A310 da companhia Yemenia Air caiu nas proximidades das ilhas Comores, no Oceano Índico, com 153 pessoas, segundo informação divulgada pela companhia aérea, sendo 142 passageiros e 11 tripulantes. A maioria dos passageiros seria de iemenitas.

As autoridades aeroportuárias francesas confirmaram que 66 cidadãos do país estavam a bordo.

De acordo com a rede de TV CNN e agências de notícias, o acidente ocorreu no início da madrugada desta terça (hora local, por volta de 17h no horário de Brasília). O avião teria caído cinco minutos antes de chegar a seu destino.

O voo IY 626 partiu de Paris em direção a Moroni, nas ilhas Comores, com conexões em Marselha, na França, e em Sanaa, capital do Iêmen.

Inicialmente, os passageiros embarcaram em um Airbus A330, e na conexão em Sanaa trocaram de aeronave, embarcando em um Airbus A310. Em 31 de maio, um outro Airbus, modelo A330, que partiu do Rio de Janeiro em direção a Paris, caiu sobre o Oceano Atlântico, matando 228 pessoas.

O arquipélago é composto por três pequenas ilhas vulcânicas - Grande Comore Anjouan e Moheli.

A frota da companhia é composta por dois Airbus 330-200, quatro Airbus 310-300 e quatro Boeing 737-800, segundo o site da empresa. O governo do Iêmen possui 51% do capital da empresa, e a Arábia Saudita, 49%, de acordo com a Reuters.

Este é o segundo Airbus a cair no mar no último mês, após o acidente com o Airbus A330-200 que voava do Rio de Janeiro a Paris quando se acidentou no Oceano Atlântico com 228 pessoas a bordo em 31 de maio. Um relatório preliminar sobre esse acidente deve ser divulgado na quinta-feira.

Fonte: g1, www.g1.com.br