Crianças sofrem com falta de merenda adequada em creche na zona Sul de THE

Crianças sofrem com falta de merenda adequada em creche na zona Sul de THE

Os pais denunciam que a escola está há alguns dias sem merenda escolar

Um total de 386 crianças do Centro Municipal de Educação Infantil, CMEI Hercília Torres, localizado na Praça da Integração do Parque Piauí, zona Sul de Teresina, vêm sofrendo com vários problemas. Os pais denunciam que a escola está há alguns dias sem merenda escolar.

A mãe de um aluno do jardim, que prefere não se identificar, conta que o filho sempre reclama quando chega da creche. Ele entra 13h30 e sai às 17h, para não deixar o filho a tarde toda com fome, a mãe prefere mandar o lanche todos os dias.

"Ele chega em casa reclamando de fome, que não comeu, e o pior, que não quer ir mais a escola", comenta a mãe ao acrescentar que conversou com uma professora e a mesma afirmou que quando tem merenda, não presta.

"Isso é uma falta de responsabilidade, porque ali se trabalha com crianças menores de 5 anos, que não entendem e muitas vezes não sabem dizer o que vem acontecendo na escola. A culpa disso tudo é de pessoas que estão acima da direção e dos professores", reclama.

A mãe coloca ainda que as crianças não estão mais recebendo o dever de casa, pois a máquina de xerox está quebrada. "Professores dizem que a máquina está no conserto e não tem dinheiro para pagar o serviço", destaca.

Segundo a diretora do local, Socorro Alves, esse problema, realmente, existe na creche há dois meses. Ela explica que isso vem acontecendo porque o Centro não está recebendo o repasse do Fundo Rotativo, que é destinado para a compra de material de limpeza e expediente.

"Estamos de mãos atadas. Muitas vezes fazemos vaquinha pra comprar alguns produtos de limpeza", lamenta ao frisar que o secretário de Educação do município pediu os planos de aplicação para analisar, mas não liberou o repasse.

Além disso, ela destacou que a creche oferece merenda escolar todos os dias, mas não como deveria, por isso o cardápio não está sendo cumprido a contento, pois a escola não recebe todos os ingredientes.

"A merenda está vindo, mas não do jeito que é pra ser. O cardápio não está sendo cumprido a contento, porque não recebemos todos os ingredientes. Hoje mesmo era para ser picadinho, mas só temos a carne, cadê as verduras e os legumes?

Então fizemos apenas arroz com frango passado no óleo e sem nenhuma verdura, para ver se as crianças aceitavam, porque até o condimento acabou", Outro problema é que a creche não dispõe de um refeitório para que as crianças façam a refeição de forma adequada.

Elas lancham na própria sala de aula. "Somos uma escola referência em educação, mas esse ano o rendimento dos nossos alunos vai diminuir, Tenho certeza", lamenta a diretora.

Quem também reclama da atual situação da escola é a professora Natália Nascimento. Ela diz que as aulas só acontecem porque tira dinheiro do próprio bolso para comprar materiais.

"As ideias para melhor desenvolver o aprendizado das crianças, nós temos, mas falta material. Fazemos algumas adaptações para continuar com as atividades, mas não é fácil", coloca.

Repasse financeiro já foi depositado, diz Semec

Sobre os aspectos pontuados no Centro Municipal de Educação Infantil Hercília Torres, a Secretaria Municipal de Educação (Semec) informou em nota que o repasse financeiro do Fundo Rotativo já está depositado na conta da escola desde a última terça-feira (10).

O valor é um recurso próprio do Tesouro Municipal, direcionado a serviços de manutenção, custeio de despesas, como a compra de utensílios, material de limpeza e pequenos serviços.

Em relação a merenda escolar, a secretaria disse que a falta de alguns itens como verduras e legumes se dá pelo processo burocrático da lei que regulariza a aquisição de gêneros alimentícios através da Agricultura Familiar.

A chamada pública que anuncia a compra dos alimentos é realizada semestralmente, exigindo o cumprimento dos prazos para apresentação dos interessados, cadastro, avaliação, abertura para recursos e distribuição, o que pode levar um tempo maior para a chegada nas escolas, mas garante transparência no processo de aquisição da merenda, além de garantir refeições de qualidade. O prazo máximo para que os pequenos grupos de agricultores apresentem suas propostas encerra nesta segunda-feira (16).

Fonte: Aline Damasceno