Cuidados higiênicos são necessários para evitar conjuntivite

A conjuntivite é a inflamação da conjuntiva, membrana transparente e fina que reveste a parte da frente do globo ocular

Apesar de ser uma doença que pode aparecer em qualquer época do ano, a conjuntivite é mais comum nesse período de final de ano. Alguns casos já começaram a ser registrados na capital, nas últimas semanas. Por causa disso, é hora de redobrar os cuidados higiênicos, principalmente com as mãos, principal forma de evitar esse problema.

A conjuntivite é a inflamação da conjuntiva, membrana transparente e fina que reveste a parte da frente do globo ocular, que conhecemos como o branco dos olhos, e o interior das pálpebras. Em geral, a doença ataca os dois olhos, pode durar de uma semana a 15 dias e não costuma deixar sequelas.

A doença demanda cuidados e, se tratada de forma correta, em poucos dias vai embora. No entanto, se não tiver o tratamento necessário, ela pode se complicar e se transformar em um caso mais grave. “O vírus que causa a conjuntivite é de contaminação fácil, mas pode ser evitado com cuidados simples como lavar as mãos. Mas caso se contraia a doença, o tratamento correto é muito importante, principalmente se o tipo de conjuntivite for bacteriana ou alérgica, pois esses casos são mais fáceis de haver complicação”, disse a oftalmologista Patrícia Martins.

A médica disse ainda que há alguns anos não se registra epidemia da doença em Teresina, mas os cuidados são sempre necessários. Os sintomas da conjuntivite são coceira no olho, vermelhidão, secreção, principalmente de manhã; ardência, dentre outros. O ideal é que se procure um oftalmologista quando aparecerem os sintomas, mas antes disso os primeiros cuidados podem ser tomados em casa, com a limpeza do olho com soro fisiológico e água filtrada.

A conjuntivite pode ser causada por reações alérgicas a poluentes ou substâncias irritantes, como poluição, fumaça, cloro de piscina, produtos de limpeza ou de maquiagem, etc.


Clique aqui e curta o Portal Meio Norte no Facebook

Fonte: Pollyana Carvalho