Cúpula dos Povos diz que texto da Rio+20 traz "desencanto"

Cúpula dos Povos diz que texto da Rio+20 traz "desencanto"

No encontro foi entregue documento elaborado na Cúpula dos Povos

Os representantes da Cúpula dos Povos, evento paralelo à Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável (Rio+20), afirmaram nesta sexta-feira (22) para o secretário-geral das Nações Unidas, Ban Ki-moon, estarem "frustrados" com o texto aprovado pelos países na Rio+20.

"Gostaria de iniciar nossa conversa expressando nosso profundo desencanto, nossa profunda frustrração em relação ao documento oficial apresentado", disse Iara Pietrovsky, integrante do grupo de articulação da Cúpula dos Povos, dirigindo-se ao secretário-geral da ONU.

No encontro realizado nesta manhã no Riocentro, a Cúpula dos Povos entregou o documento político final elaborado durante as Plenárias de Convergência organizadas por ONGs e movimentos sociais, que representam redes, organizações e movimentos sociais de vários países, em temas sindicais, indígenas, ambientais, povos tradicionais, direitos humanos, entre outros. O documento está disponível no site da Cúpula dos Povos.

"A Rio+20 acabou para nós"

"Esperávamos um documento bem mais audacioso, bem mais ambicioso frente aos desafios que estamos nos confrontando", disse Iara. "De qualquer maneira, acreditamos que o diálogo e a possibilidade de uma agenda é importante para que possamos criar saídas alternativas e sustentáveis para o nosso planeta", ressalvou.

Ao término do encontro, os representantes da Cúpula dos Povos reafirmaram o sentimento de frustração. Segundo Iara, a ONU informou que não haverá mesmo mudança no documento final da Rio+20. ?Gostaríamos que ele [Ban Ki-moon} realmente levantasse a ambição e que a gente pudesse abrir espaços de mais diálogo e participação e mudança radical deste documento oficial?, disse Iara. "A Rio+20 acabou para nós, mas o nosso processo não dependia da conferência. A Rio+20 foi uma passagem, infelizmente uma passagem extremamente frustrante", completou.

Fonte: G1