Curso de extensão ainda não tem data de matrículas

Informações sobre matrículas são escassas

No dia 19 de março, o Jornal Meio Norte veiculou matéria a respeito da demora para o início das matrículas para o curso de extensão em inglês da Universidade Federal do Piauí (UFPI). À época ainda não havia sequer uma previsão para o início das aulas. Mais de duas semanas depois ainda não há previsão para o início das aulas. O motivo alegado para a demora é o cumprimento de trâmites burocráticos.

Ao todo o curso conta com seis módulos, de 24 alunos cada. A informação repassada aos estudantes interessados é que as matrículas para o Curso de Extensão continuado em língua Inglesa (Cecli) ainda dependem de autorização da UFPI. O curso é mantido pela UFPI e realizado pelo Núcleo de Recursos e Informações da Língua Inglesa (ERIC). No ano passado o período letivo foi começar em abril e o período seguinte teve as matrículas liberadas somente no final do mês de agosto.

O estudante Emanuel Alcântara é um dos que ainda esperam para tentar conseguir uma vaga no Cecli. Em busca de uma vaga no 1o módulo do curso ele reclama principalmente da falta de informação. ?Ninguém sabe informar nada. Nem data de matrícula, muito menos início das aulas. A informação que passam é que estão dependendo de que a UFPI libere o sistema para poder começar a receber as matrículas, mas nunca liberam nada?, destaca o estudante.

Para Emanuel Alcântara a liberação da data pode até pegar alguns estudantes de surpresa. ?Como podem liberar em qualquer data fica difícil até se programar para poder ter o dinheiro para pagar a matrícula?Outra preocupação para o estudante está com relação às aulas. ?Com essa demora toda é difícil até saber como vai ser este período. Acho que eles vão ter de correr muito para conseguir cumprir a carga horária do curso?, pontua Emanuel Alcântara.

Na coordenação do curso a orientação é que informações sobre a matrícula somente podem ser repassadas pela pró-reitora de extensão, responsável pelo processo. A pró-reitoria de extensão foi procurada, mas até o fechamento desta matéria não manifestou-se sobre o assunto. (C.R.)

Fonte: Carlos Rocha, Jornal Meio Norte