Curso de Jornalismo da UFPI tem 80% dos professores com doutorado

Durante Seminário que comemorou os 30 anos de criação do Curso de Jornalismo da Universidade Federal do Piauí, a qualificação dos professores, a pesquisa e as diretrizes curriculares foram destaque

30 anos se passaram e hoje o que a Universidade Federal do Piauí (UFPI) representa para a formação em Jornalismo é um marco na história do Estado. Por causa disso, a entidade comemorou esse marco com um seminário científico que destacou a qualidade de formação, novas diretrizes curriculares, ética, pesquisa em comunicação e o futuro do curso. A proposta era rememorar as conquistas e enfatizar os desafios que se seguem.

Segundo a coordenadora do Curso de Comunicação Social da UFPI, a professora Cristiane Portela, o evento enfatiza as conquistas diárias alcançadas pelos envolvidos nesses anos de história, principalmente no que diz respeito ao ensino e à pesquisa. “Os 30 anos foram marcados de pequenas conquistas diárias, sobretudo nas duas áreas de destaque do curso: ensino e pesquisa. Na questão do ensino tivemos a expansão na melhoria da qualificação dos professores. Na pesquisa, nos tivemos a melhoria da produção dos docentes e discentes”, destaca.

Cristiane conta com entusiasmo que, do corpo docente de 17 professores efetivos, 12 deles são qualificados com o título de doutorado. “Outro reflexo disso foi um prêmio recente que o curso ganhou, na categoria grupo inovador, no 16º Prêmio Luiz Beltrão, que é em prêmio outorgado pela Sociedade Brasileira de Estudos Interdisciplinares da Comunicação.

A criação do mestrado entre outros ganhos”, reafirma a coordenadora e adianta que a linha futura de desenvolvimento do curso será marcada com muito mais destaque.

A qualificação do ensino também é motivo de orgulho para os professores da Universidade. “Isso é uma preocupação que não é só para formar um profissional com perfil acadêmico, mas também um profissional pronto para o mercado de trabalho. E fruto disso foi a melhoria dos laboratórios.

A criação da FM Universitária que hoje serve como laboratório não só para os alunos das disciplinas de radiojornalismo, como também para os alunos de impresso, de televisão, de web”, reitera Portela.

Alunos, ex-alunos, professores e profissionais se reuniram em oficinas, exposições, palestras e lançamento de livros.

Todos com o mesmo foco: a expansão e melhoria do curso de Jornalismo. Com essa visão a coordenadora destaca que as novas diretrizes foram debatidas durante o evento.

“As novas diretrizes curriculares que foram determinadas pelo MEC – Ministério da Educação – é que acabem com essa denominação de Curso de Comunicação Social com habilitação em Jornalismo e passem a ser somente cursos de Jornalismo. Isso vai exigir um perfil específico de um profissional do Jornalismo, que ele seja capacitado não só o perfil técnico, como ético e estético”, aborda Cristiane.

Evento contou com programação diversa

O seminário comemorativo foi realizado entre os dias 29 e 30, no Centro de Ciências da Educação. Na oportunidade foram apresentados trabalhos científicos, palestras com professores de renome nacional, com lançamentos de livros, bem como a presença de profissionais de todo o Estado que se formaram na UFPI.

“A ideia era fazer com que, ao longo desses dois dias, pudéssemos envolver discentes e docentes da graduação e pós-graduação das diversas Instituições de Ensino Superior do Piauí, em um momento de reflexão que seja representativo do vivido e que aponte caminhos para o Jornalismo no futuro. Esse é um momento muito importante para todos nós que fazemos o curso, pois celebra 30 anos de muito trabalho e esforço, daí nos propormos a fazer um debate entre pesquisa e prática jornalística cidadã”, ressalta Ana Regina Rêgo, coordenadora do Mestrado em Comunicação da UFPI.

Os inscritos no evento puderam participar de oficinas que abordaram o uso de dados no planejamento estratégico digital, além de noções básicas de iluminação, áudio, captação e edição de imagem. Na palestra de abertura, o professor Alfredo Vizeu falou das novas diretrizes curriculares para os cursos de Jornalismo.

Paralelamente ao evento foi realizado o I Seminário de Pesquisa Científica em Comunicação da UFPI, contando com apresentação de trabalhos em diferentes grupos de pesquisa, sendo eles: História do Jornalismo, Economia Política do Jornalismo, Mídia e Produção de Subjetividades, Mídia e Esporte, Comunicação e Discurso, bem como Processos e Práticas do Jornalismo.

Entre os livros lançados estão: “O Delírio é um Desejo - ensaios e fragmentos sobre os protestos de junho de 2013 no Brasil”, organizado pelos professores Gustavo Said e Jacqueline Dourado; “Economia Política do Jornalismo: campo, objeto, convergências e regionalismo”, organizado pela professora Jacqueline Dourado; “Ideias em retalhos: sem rodeios nem atalhos”, de autoria da professora Maria das Graças Targino; e “Petrônio Portella - Uma biografia”, escrito pelo jornalista Zózimo Tavares.

 

Clique e curta o Portal Meio Norte no Facebook

 

Fonte: Thays Teixeira