Balneário Curva São Paulo terá projeto de arborização pela Prefeitura de Teresina

Balneário Curva São Paulo terá projeto de arborização pela Prefeitura de Teresina

epois de cair no esquecimento, a Prefeitura de Teresina agora tenta revitalizar o balneário Curva São Paulo

O balneário Curva São Paulo receberá um projeto de revitalização que envolve mudanças paisagísticas e reorganização comercial local. Na primeira etapa, o balneário recebeu 160 mudas de mais de cinco espécies frondosas.

A plantação foi realizada através da Superintendência de Desenvolvimento Urbano Sudeste (SDU Sudeste). O projeto geral de revitalização da Curva São Paulo é uma parceria da Secretaria Municipal de Planejamento (Semplan), Superintendência de Desenvolvimento Urbano da zona Sudeste (SDU) e da Secretaria de Economia Solidária de Teresina (Semest).

Inaugurado em 2007, o balneário Curva São Paulo foi uma obra da Prefeitura Municipal de Teresina criada para ser uma importante área de lazer para a população. No entanto, sucessivas enchentes entre 2009 e 2011 tiraram do local boa parte do seu público e o balneário caiu no esquecimento.

O presidente da Associação da União dos Barraqueiros da Curva São Paulo, Luís Alves, afirma que o local jamais deixou de funcionar. ?Com a perda de público, nossos antigos parceiros pararam de nos apoiar, ficaram desacreditados e fomos abandonados. Mas o nosso público, que vive aqui na região, continua frequentando.

Estamos agora brigando por uma reforma no local, melhorando os quiosques e, principalmente, os banheiros. A segurança é algo que também precisa melhorar por aqui?, disse o presidente, que procura organizar eventos para atrair novamente outros públicos.

Plano de negócios faz parte da revitalização

A segunda etapa do projeto de revitalização do balneário Curva de São Paulo envolve toda a organização social, circulação e apoio a eventos através de um plano de negócios. De acordo com o secretário da Secretaria de Economia Solidária de Teresina (Semest), Olavo Braz, o grande entrave do balneário não diz respeito apenas aos prejuízos das enchentes, mas da falta de um plano de negócios estruturado. O primeiro momento do plano de negócios terá a avaliação do funcionamento dos bares e restaurantes.

?Basicamente é preciso haver uma organização e um adaptação das diferenças entre bar e restaurante, o que cada um vai oferecer e, assim, estimular que haja um foco e boa variedade de produtos e serviços diferentes entre os estabelecimentos?, disse o secretário.

Em outra etapa da revitalização, outros serviços de utilidade pública poderão ser instalados no local. O presidente da associação de barraqueiros, Luís Alves, discorda do plano de negócios proposto pela prefeitura, afirmando não condizer com o perfil do balneário. ?Eles querem que a Curva São Paulo seja uma coisa muito chique e os nossos clientes são muito populares. Eles querem reduzir a quantidade de bares e restaurantes e nós ficamos sem saber para onde vão os ou-tros barraqueiros?.

O secretário Olavo Braz esclarece que o plano, na verdade, é apenas uma sugestão com orientações para que os barraqueiros tenham base para tomar suas próprias decisões. ?Eles estão com o plano em mãos para análise, sendo apenas uma sugestão em forma de consultoria, mas que deve ser reconstruído e executado de forma democrática?, destaca o secretário.

Prefeitura quer emancipar barraqueiros

O presidente da associação cobra mais ações da Prefeitura Municipal de Teresina, no sentido de melhorar a estrutura da Curva São Paulo, com reforma e intensificação da segurança, entretanto, a proposta do município é oferecer subsídios para que eles sejam independentes.

O secretário Olavo Braz ressalta que o objetivo é a emancipação dos empreendedores, para que eles sejam articulados. ?Os barraqueiros precisam se emancipar, e o projeto proposto não visa a tutela pela prefeitura, na verdade, é uma forma de orientar e apoiar?, finalizou Olavo Braz.

Fonte: Samira Ramalho