De 37 viaturas no Incra, apenas 14 estão funcionando em Teresina

23 viaturas de vários modelos estão danificadas

A situação de descaso no Instituto Nacional de Reforma Agrária (Incra) no Piauí está alarmante. O órgão completou nesta quinta-feira, 09, 45 anos de existência, no entanto, os servidores não têm muito que comemorar, e para chamar atenção da sociedade em geral, paralisaram durante 24 horas suas atividades e ameaçam fazer greve. As queixas vão desde baixos salários, à falta de infraestrutura adequada e até de contas atrasadas da própria sede.

Mas o que mais chamou atenção é que das 37 viaturas do Incra, apenas 14 estão em funcionamento, para atender um contingente de 30 mil famílias participantes dos 495 projetos de assentamento em todo o Estado.

Por falta de recursos para realizar a devida manutenção, 23 viaturas de modelos identificados como Picape, Hilux, Ford Ranger 4x4 estão danificadas, com problemas diversos, nos freios, motores e pneus. A única funcionalidade que estes, atualmente, têm exercido é fazer volume no estacionamento do órgão.

De acordo com Leonardo Bezerra, presidente da Associação dos Servidores do Incra (Assincra/PI), os veículos danificados estão parados no estacionamento em torno de cinco anos e os demais precisam de reparos imediatos.

“Tem o contrato de manutenção, mas o orçamento disponibilizado para consertos nos veículos não está cobrindo os custos. Inclusive, estamos com dificuldades em manter as poucas viaturas que estão funcionando. E para realizar nossas atividades, os servidores têm arriscado a própria vida”, desabafa o funcionário.

Diante desta situação, Leonardo Bezerra afirma que os servidores temem o pior, já que só este ano, dois funcionários sofreram graves acidentes, devido a problemas pontuais nas viaturas.

“Quero chamar atenção, que só este ano, dois servidores da casa chegaram perto de serem vítimas de acidentes fatais. Um ficou sem freio, na Ladeira de Picos, e o outro quebrou a barra de direção, na estrada de Palmeirais. Tudo isso por falta de manutenção adequada”, explica.

Caso as reivindicações não sejam atendidas, os servidores do Incra, a nível nacional e principalmente estadual, podem aderir a greve nos dias 23 ainda neste mês.

O Incra é o órgão responsável por executar políticas de reforma agrária no país, bem como o ordenamento fundiário, além de proporcionar moradia digna, educação, assistência técnica e benefícios socais, promovendo a inclusão social e melhoria na qualidade de vida para a população carente do campo.

Funcionários paralisam atividades por 24 horas

Os servidores do Incra no Piauí, como uma forma de chamar atenção da sociedade e do Governo Federal, decidiram paralisar as atividades por 24 horas, na sede do órgão que se localiza Avenida Odilon de Araújo, Bairro Piçarra. As principais reivindicações são por melhores condições de trabalho, reajuste salarial e aumento do corpo funcional.

A infraestrutura do órgão está deteriorada, a equipe de servidores reclama de computadores, impressoras e telefones quebrados e até falta de papel.
"A maior insatisfação é a falta de investimento do Governo Federal para o Incra, bem como os baixos salários e as péssimas condições de trabalho.

Falta equipamentos, desde GPS a computador, impressora, papel. O orçamento não tem dado para custear a própria sede, não dá nem para pagar a conta de energia e nem os servidores terceirizados.
A reforma agrária desse jeito, não tem condições de ser executada de forma eficiente", esclarece Leonardo Bezerra.

O presidente da Assincra/PI revela ainda que o sentimento dos servidores diante desta situação é de extrema desmotivação. "O nosso sentimento é de muita tristeza. A gente se sente desmotivado no próprio ambiente de trabalho.

Não há concurso público há cinco anos e os servidores concursados, passam pouco tempo aqui, fazem outros concursos, dos baixos salários. O Incra hoje tem o pior salário do poder executivo", destaca. Para Edmar Moura Fé, funcionário do Incra há 33 anos, confirma o clima de desmotivação entre os funcionários:

"Não temos o que comemorar. Está tudo sucateado. O servidor está desmotivado em geral. Se continuar assim, não temos mais como desenvolver as atividades do órgão", desabafa o servidor.

Atualmente, o Incra no Piauí, possui apenas a sede na capital, que atua apenas com 150 servidores para atender a demanda de todo o Estado. Já que a Unidade do Incra em Bom Jesus do Piauí fechou por falta de recursos, para manter a estrutura em funcionamento.

Fonte: Thays Teixeira e Márcia Gabriele