Defesa Civil confirma três mortes após temporal nesta madrugada

Defesa Civil confirma três mortes após temporal nesta madrugada

Segundo Sérgio Simões, três óbitos ocorreram na cidade de Petrópolis. Três pessoas estão desaparecidas, de acordo com o secretário Carlos Minc.

O secretário estadual de Defesa Civil do Rio de Janeiro, Sérgio Simões, afirmou na manhã desta segunda-feira (18) que pelo menos três pessoas morreram em decorrência das chuvas em Petrópolis, na Região Serrana, durante a madrugada. Simões se reuniu pela manhã com o prefeito de Petrópolis, Rubens Bontempo, conforme mostrou o Bom Dia Rio.

"O governo do estado mobilizou toda a sua estrutura, especificamente a do Instituto Estadual do Ambiente (Inea) com máquinas e caminhões para que a gente possa desobstruir vias obstruídas por carregamento de terra", disse.

Os rios Quitandinha e Piabanha transbordaram durante o temporal. Ruas ficaram alagadas nos bairros Quitandinha, Alto Independência, Morin e Alto da Serra. "A situação de Petrópolis é realmente muito, muito grave. Além de três mortos, há três desaparecidos", disse o secretário estadual de Meio Ambiente, Carlos Minc, ressaltando que o prefeito do município já decretou estado de emergência.

O secretário Sérgio Simões informou que em Petrópolis choveu mais de 300 mm em 24 horas. O volume de chuva esperado em um mês no município é 270 mm. "Os rios voltaram à sua calha na manhã desta segunda (18). Houve vários pontos de alagamento, no Centro da cidade especialmente. O problema é que nós temos previsão de chuvas continuadas para todo o dia de hoje. O prefeito já fez um apelo para que as pessoas permaneçam em suas casas, decretou feriado escolar e a preocupação passa a ser o acumulado de chuvas, a possibilidade de novos deslizamentos de terra", afirmou o secretário.







Ao lado de um dos principais pontos turísticos da cidade de Petrópolis, o Hotel Quitandinha, a rua foi completamente interditada porque um grande muro deslizou e causou estragos. Uma pousada, no alto do morro, ficou sob risco, em cima do penhasco.

No início da noite de domingo, o Centro Histórico e parte da Rua Coronel Veiga ficaram totalmente tomadas pelas águas do Rio Quitandinha. Na Praça da Liberdade e próximo à Praça Dom Pedro também foram registrados pontos de alagamentos.

Nesta manhã, a Rio-Petrópolis registrava pontos de interdição na subida e descida da serra, em consequência da queda de barreiras ao longo da rodovia.

Em Xerém, Duque de Caxias, na Baixada Fluminense, também foram registrados alagamentos. No entanto, o secretário não soube informar se houve vítimas. Em Petrópolis, nove comunidades tiveram sirenes acionadas no domingo (17).

Na capital, quedas de árvores bloqueavam ruas e avenidas deixando o tráfego total ou parcialmente interrompido. O Aeroporto Santos Dumont, no Centro do Rio, fechou para pousos por volta de 7h05 por causa da chuva que atingia o terminal.

Angra dos Reis

Em Angra dos Reis, na Costa Verde, as chuvas intensas provocaram o aumento do nível do Rio Mambucaba, que entrou em alerta às 20h18. No mesmo horário, o Rio Pavuna, em São João de Meriti, na Baixada Fluminense, estava em alerta máximo, já que estava prestes a transbordar. Na mesma região, o Rio Sarapuí, em Mesquita, estava com o nível bem acima do normal.

Fonte: G1