Deficiência intelectual é debatida entre professores do Piauí

A educação de pessoas com deficiência intelectual está em discussão

Com intuito de capacitar professores das redes públicas estaduais e municipais de ensino, que o Centro de Educação Especial (Cies), localizado no Bairro Ilhotas, está promovendo, em parceria com a Secretaria de Educação do Estado (Seduc).

O 8º Colóquio que traz o tema “Dialogando com a Escola Regular sobre Inclusão da Pessoa com Deficiência Intelectual” tem reunido cerca de 100 professores e segue até hoje (25).

Lidar com educação de pessoas com deficiência intelectual ainda é um problema para muitas pessoas, principalmente, para os professores da rede pública que, na maioria dos casos, não recebem nenhuma qualificação para tal.

De acordo com Fátima Macêdo, diretora do Cies, a qualidade no ensino de pessoas com deficiência intelectual só vai melhorar com informações aos profissionais que trabalham, cotidianamente, com esse público.

“A nossa intenção é propor uma formação na área da inclusão das pessoas com deficiência intelectual. Por conta de leis, melhorou bastante o acesso dessa população nas escolas, agora precisamos melhorar na qualidade dessa inclusão, que não pode ser de qualquer jeito. A qualidade só vem com estudos e discussões”, destaca.

A diretora do Cies garante que conhecer a patologia e a necessidade dessas crianças é um grande começo para melhorar a qualidade dessa inclusão. E com capacitação voltada ao ensino, é uma grande contribuição ao trabalho dos professores.

“A deficiência intelectual afeta o cognitivo dessas pessoas e por isso a cultura, ao longo do tempo, nos colocou que essas pessoas são incapazes, como se a sociedade não fosse para elas.

Mas com a inclusão, tem-se mudado esse pensar e a busca por conhecimentos tem acontecido. Só resta haver mais qualificações de profissionais que trabalham diretamente com essa população”, pontua Fátima Macêdo.

O evento tem contato também com a participação de instituições como o Centro Integrado de Reabilitação (Ceir), Associação Pestalozzi e da Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais de Teresina (Apae).

O evento encerra nesta sexta-feira (25), com a realização de minicursos com temas: Adaptação Curricular, Estimulação Sensorial voltada para Aprendizagem para pessoas com deficiência intelectual, Primeiros Socorros e a Importância do Brincar para o Aprendizado para Crianças.

Fonte: Virgínia Santos e Márcia Gabriele