Deficiente dono da bicicleta condena tatuagem na testa do jovem

Ele disse que não conseguiu nem dormir depois do ocorrido

Dono da bicicleta que seria o pivô da agressão onde um adolescente teve sua testa tatuada, Ademilson de Oliveira, 31 anos, conta que ficou com medo e nervoso. "Não consegui dormir pensando nisso. fui dormir com medo, meu coração apertado, chorei nessa noite", disse Oliveira que é deficiente físico e vive de vendas e do dinheiro que pede no semáforo.

O caso aconteceu na última sexta-feira (9) em São Bernardo do Campo e os agressores Ronildo Moreira de Araújo, 29 anos, e o vizinho Maycon Wesley Carvalho dos reis, 27 anos, foram presos em flagrante por tortura e podem pegar de três a oito anos de prisão.

Ademilson Oliveira disse que estava no local quando os agressores flagram o adolescente de 17 anos mexendo em uma bicicleta. "Quando eu cheguei eles falaram que ele estava tentando roubar minha bicicleta. Fiquei pasmado, estou em choque até agora. Se eu estivesse aqui não teria deixado. Que dessem uns tapas na orelha dele e mandasse embora, ou chamassem a polícia. Não precisava fazer uma barbaridade dessas", afirmou revelando que sua bicicleta está quebrada.

Os dois agressores imobilizaram o adolescente amarrando-o a uma cadeira e o tatuador Maycon na testa dele: "Sou ladrão e vacilão".

Revoltada com o que aconteceu com o filho adolescente a mãe dele disse: "Meu filho não é boi, não é animal. O filho estava desaperecido desde o dia 31 de maio e disse está preocupada com ele. "A gente precisa tirar isso do rosto dele porque ele não é bicho. Muita gente está julgando ele, mas ninguém conhece a história dele. A única coisa que a gente quer é Justiça", diz ressaltando que até o momento não conseguiu assistir o vídeo em que o filho é tatuado na testa.

"Infelizmente eles vão pagar pelo erro deles. Só tenho pena da família deles. Quando eu recebi o vídeo eu não consegui assistir. Eu vi a foto e isso acabou comigo, acabou com a família. Como ele vai sair por aí? Ele é vítima da sociedade."

A mãe do adolescente revela que espera conseguir ajuda para o filho para poder tratá-lo da dependência química. "Ele precisa de ajuda, de tratamento, a gente não tem condições de pagar, a gente é pobre. Eu sou auxiliar de limpeza e estou desempregada. Eu estou acabada, ele pode ser o que for, mas o ser humano não tem direito de fazer isso. Ele é uma criança, ele é doente, não precisa de críticas, precisa de ajuda, de tratamento."

Sobre o crime

O crime teria ocorrido na pensão onde os dois agressores alugaram um quarto. A alegação dele é de que queriam "punir" o adolescente por ele ter tentado furtar a bicicleta de um deficiente físico.

Maycon confirmou em depoimento que era o tatuador que aparecia nas imagens que circulam nas redes digitais e o seu comparsa Ronildo confessou quer o responsável pela gravação das imagens.

O garoto estava desaparecido desde o dia 31 de maio. Acabou sendo encontrado por amigos e pela família no sábado (10), com o cabelo raspado. No mesmo dia, a Justiça converteu a prisão em flagrante para preventiva.




Fonte: G1