Delegado espera a mulher que filmou estupro da própria filha

Depois de ver o vídeo, mãe teria fugido por medo do suspeito do crime

A Polícia Civil espera para a tarde deste sábado (31) a apresentação da mãe da menina de 8 anos que teria sido vítima de estupro pelo padrasto, em Senador Canedo, na Região Metropolitana de Goiânia. A violência sexual teria sido registrada por uma câmera escondida em um dos quartos da casa, enquanto a mulher estava fora. Ela teria fugido com medo do parceiro depois de confirmar o abuso, mas antes deixou com vizinhos cópias do suposto flagrante. Na próxima segunda-feira (2), o caso deverá ser encaminhado para a Delegacia de Proteção à Criança e ao Adolescente (DPCA), em Goiânia.

O delegado Divino Batista dos Santos, que investiga o caso, explica que a apresentação da mulher é necessária para a formalização da denúncia feita por vizinhos, na sexta-feira (30). Ele comenta que o depoimento da mãe ajudará na apuração das circunstâncias em que o crime teria ocorrido. ?Ela ficou de se apresentar à delegacia hoje [sábado]. Ela supostamente está na cidade de Guapó e a estamos aguardando para que explique o que ocorreu e por que ela saiu do local?, diz o delegado.

Nesta mesma data, o delegado divulgou para a imprensa as imagens que comprovariam o crime. De acordo com a polícia, as cenas mostram um homem abusando sexualmente de uma criança. ?Não há dúvidas de que houve o abuso. Apesar das imagens serem de péssima qualidade, percebe-se claramente que houve o abuso sexual?, afirma o delegado.

Desconfiança

Segundo vizinhos da família, no setor Jardim das Oliveiras, a mulher desconfiava do ciúme do companheiro em relação à vítima e programou a câmera do telefone celular para registrar o que acontecia em sua residência enquanto ela estava fora de casa.

Os moradores do bairro estão transtornados com o segundo caso de abuso sexual registrado no setor em dois dias. Uma das vizinhas da menina de 8 anos, Edna do Nascimento Silva comenta que a família havia se mudado para o bairro há menos de 30 dias. ?Ia fazer um mês agora no dia 10?, afirma.

De acordo com os moradores, a mãe da criança desconfiava do ciúme excessivo que o padrasto sentia pela criança. Ela teria decidido filmar tudo o que acontecia em sua ausência com a câmera do telefone celular. Então, deixou a câmera ligada e escondida dentro de uma caixa de sapato, no quarto onde a menina dormia.

Quando souberam do caso, vizinhos tentaram segurar o suspeito. ?Eu e um amigo meu que estava comigo tentamos segurá-lo. Esse meu amigo ficou no portão, mas demorou para fechá-lo. Se ele tivesse sido mais rápido, talvez tivesse dado para segurá-lo?, lamenta o carregador Claudson do Nascimento. Na fuga, o suspeito amassou a porta e quebrou a lanterna de um carro que estava estacionado na calçada.

Bíblia

Claudson comentou que a vítima estava lendo a Bíblia antes de o suspeito chegar. ?Ela tirou a roupa e começou a ler a Bíblia. Então ele chega. Ela já deixou a Bíblia de lado e ele começa com a saliência dele?, diz, indignado.

Segundo a Polícia Militar, o padrasto, de 33 anos, vivia com a mãe da vítima há cinco meses. Os policiais disseram também que a mãe gravou o vídeo em um DVD e pediu a amigos que denunciassem o caso. ?Com medo do companheiro, ela repassou essas cópias para os vizinhos que repassaram para nós e nós as entregamos para delegacia?, relata o sargento da PM Davi Cardoso da Silva.

Fonte: G1