Delegado que denunciou Marcelinho Paraíba é afastado

Diário Oficial publica afastamento de delegado que denunciou Marcelinho


Delegado que denunciou Marcelinho Paraíba é afastado
O Diário Oficial da Paraíba publicou no sábado (3) a portaria que suspende de suas atividades o delegado Rodrigo Rego Pinheiro, suspeito de disparar tiros durante uma confusão na festa do jogador Marcelinho Paraíba, na última quarta-feira (30). Foi ele quem procurou a Polícia Militar para denunciar o atleta por supostamente ter tentado estuprar sua irmã de criação, uma advogada de 31 anos. Além disso, o delegado chegou a ameaçar jornalistas que acompanhavam os depoimentos dos envolvidos na Central de Polícia de Campina Grande.

De acordo com a portaria de número 908, o delegado geral da Polícia Civil, Severino do Nascimento Filho, resolveu dispensar o delegado de suas funções na 5ª Delegacia Distrital de Campina Grande. A exoneração será decidida dependendo do resultado das investigações. A denúncia contra ele está sendo apurada pela Corregedoria da Polícia Civil.

Outra acusação contra o delegado que está sendo investigada é a de ter desrespeitado jornalistas que cobriam o caso. Enquanto ele estava na Central de Polícia acompanhando a irmã, jornalistas se aproximaram para entrevistá-lo. Irritado com uma das perguntas, Rodrigo Pinheiro agrediu verbalmente alguns repórteres e bateu na câmera de um cinegrafista.

O advogado Bruno Cadé, se retratou em nome do delegado. ?De certa forma ele pede desculpas aos profissionais de imprensa, que ele se exaltou em um momento de emoção. Se a imprensa como um todo se sentiu ofendida, ele não fez de for ma dolosa, não fez querendo, ele é uma pessoa muito sensata, muito tranquila e isso não é natural da parte dele?.

O policial foi submetido a exames periciais constatação de tiro e residuograma de chumbo, que irão avaliar se ele chegou a fazer algum disparo, conforme alegou Marcelinho Paraíba. Os resultados devem sair nesta semana.

No vídeo em que aparece discutindo com jornalistas, o delegado afirmou: "quem deu o tiro foi a PM, mas foi porque os cabras estavam em dez contra um. Aí o PM pegou e deu um tiro pra cima". O jogador Marcelinho Paraíba foi indiciado por estupro e passou 12 horas preso em Campina Grande, parte deste período no Complexo Penitenciário do Serrotão. Ele agora responde em liberdade.

Três amigos dele que estavam na festa foram indiciados por desacato à autoridade e resistência à prisão. Eles pagaram fiança e foram liberados.

Fonte: G1