Dentes arrancados de adolescente do DF eram saudáveis, conclui IML

Apenas os dois que estavam previstos e autorizados pela família deveriam ter sido arrancados

O Laboratório de Antropologia Forense do Instituto Médico Legal (IML) de Brasília fez a análise detalhada dos dentes extraídos do adolescente de 17 anos, no dia 24 de setembro, no Hospital Regional da Asa Norte (Hran). Os peritos concluíram que não havia a necessidade de extrair os 26 dentes do jovem. De acordo com eles, apenas os dois que estavam previstos e autorizados pela família deveriam ter sido arrancados. O laudo vai ser anexado ao inquérito que investiga a responsabilidade do dentista.

?Os dentes estão muito conservados e não apresentavam necessidade de extração. Apenas dois elementos dentários, que inclusive quem guardou os dentes (o cirurgião-dentista), os desprezaram, porque não eram dentes íntegros, assim como todos os outros?, afirma o diretor do IML, Malthus Galvão.

Fonte: g1, www.g1.com.br