Desmatamento da Amazônia cresce 157% em um ano

A redução verificada pelo Deter pode sinalizar queda na taxa anual de desmatamento

 O desmatamento na Amazônia em julho atingiu pelo menos 836,5 km2 de floresta, 157% a mais que o registrado em julho de 2008, quando o desmate foi de 323 km2.

Os dados são do relatório do Sistema de Detecção de Desmatamento em Tempo Real (Deter), divulgado nesta terça-feira (1º) pelo Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe). A área de floresta derrubada equivale à metade do município de São Paulo. O Pará se manteve na liderança do desmatamento, com 577 km2 de derrubadas (quase 70% do total registrado em julho). No mesmo período, Mato Grosso derrubou 123,8 km2 e o Amazonas aparece em seguida, com 47 km2 a menos de florestas. No Maranhão, os novos desmatamentos atingiram 37,6km2 e em Rondônia, 34,5 km2.

O desmatamento medido pelos satélites em Roraima foi de 8,3 km2; em Tocantins, de 5,3 km2; e no Acre, de 3 km2. Com menos nuvens que nos meses anteriores, em julho os satélites conseguiram observar 77% da Amazônia Legal. Apenas o do Amapá não foi monitorado, pois apresentou um índice de cobertura de nuvens de 96% no período. A devastação ficou concentrado principalmente na região dos municípios de Novo Progresso e São Félix do Xingu, ambos no Pará, e na região leste do estado, na fronteira com o Maranhão. Nos outros estados, o desmate foi disperso.

Mais cedo, a ONGInstituto do Homem e Meio Ambiente da Amazônia (Imazon) também divulgou dados sobre o desmatamento em julho, que apontaram derrubada de 532 km2 de florestas, aumento de 63% em relação ao mesmo mês de 2008. A medição do Deter considera as áreas que sofreram corte raso (desmate completo) e as que estão em degradação progressiva. O sistema serve de alerta para as ações de fiscalização e controle dos órgãos ambientais. De agosto de 2008 até julho de 2009 (calendário para cálculo da taxa anual do desmatamento), o Deter registrou 4.375 km2 de desmatamento na Amazônia Legal.

No período anterior (agosto de 2007 a julho de 2008), a área devastada foi de 8.147km2. A redução verificada pelo Deter pode sinalizar queda na taxa anual de desmatamento, medida pelo Projeto de Monitoramento do Desflorestamento na Amazônia Legal (Prodes), também calculada pelo Inpe. O número atual (2007/2008) é de 11,9 mil km2.

Fonte: Folha Online, www.folha.com.br