Jovem detido por morte de dentista foi solto pela Justiça há cinco meses

Procurado às 19h de ontem, o Tribunal de Justiça informou que não era possível se manifestar.

O jovem de 17 anos apreendido sob a suspeita de atear fogo na dentista Cinthya Magaly Moutinho de Souza, 46, em São Bernardo do Campo (ABC paulista) no dia 25 teve sua internação negada pela Justiça em novembro de 2012.

Na ocasião, ele foi detido sob a suspeita de tráfico de drogas por estar com 12 papelotes de maconha. Antes, já tinha tido três apreensões --em duas, acusado de tráfico, e uma, de porte de arma de uso de forças de segurança.

Em seu pedido à Justiça, a polícia alegou que o jovem tinha antecedentes graves e botava em perigo sua própria vida e a de quem o cercava.

A juíza da Vara da Infância e Juventude de Diadema, Cláudia Maria Carbonari de Faria, no entanto, determinou que fosse libertado e entregue para a mãe dele.

Depois dessa ocorrência, o adolescente ainda foi detido mais uma vez, em 4 de abril deste ano, acusado de ameaçar um garoto de 14 anos de Carapicuíba (Grande SP).

Ao todo, com a detenção do final de semana pela morte da dentista, ele totaliza seis passagens pela polícia. Não chegou a ser internado em nenhuma, mas cumpriu medida de liberdade assistida.

Procurado às 19h de ontem, o Tribunal de Justiça informou que não era possível se manifestar sobre o caso porque naquele horário a Vara de Diadema estava fechada.

Fonte: UOL