Devido a piracema, 35 mil pescadores vão parar no PI

Com o início da piracema, 35 mil pescadores piauienses devem suspender suas atividades

O encontro de pescadores para marcar o início da piracema (período em que a pesca é proibida) aconteceu no domingo (10) no Encontro dos Rios. Durante este período, cerca de 35 mil pescadores vão ficar sem trabalhar e contarão com o ?Seguro Pesca?, benefício que dá direito a um salário mínimo durante os quatro meses da Piracema.

O evento, iniciado com uma missa e um café da manhã , contou com a participação do Governador Wilson Martins, da diretora do Sistema Nacional de Empregos (Sine -PI), Betânia Rios e da comunidade em geral. ?Estamos sempre a disposição dos sindicato dos pescadores. O seguro programado pelo Governo Federal em parceria com os governos estaduais é fundamental para ajudá-los durante esses 4 meses?, declarou Wilson Martins.

Ele acrescentou que o governo dará todo o apoio necessário para contribuir com o sindicato de pescadores e prometeu fazer uma parceria com a classe no próximo ano. De acordo com Betânia Rios, diretora do Sine, este é o primeiro encontro em que além de marcar o início da Piracema, tem como objetivo valorizar os pescadores, já que é a profissão mais antiga do mundo.

?O pescador é um homem de fé, que sai cedo de casa para sustentar a família. Então, é importante que o governo assegure o sustento dessas famílias?, afirma Betânia. Para isso, os pescadores receberão quatro salários mínimos de dezembro a março. Ainda segundo a diretora, no período 2012/2013, foram beneficiados quase 28 mil pescadores do Piauí e ao todo foram gastos 80 milhões som o seguro. Este ano, a expectativa é por volta de 35 mil pescadores e um valor de 100 milhões.

Sindicato incentiva respeito à piracema- O presidente do Sindicato, Francisco Aquino, pescador desde os 13 anos de idade, afirma que parar as atividades é muito proveitoso. ?Vamos receber sem trabalhar. Ninguém nunca viu isso, só nós, pescadores, que temos esse privilégio. E é importante parar, porque se não parar, futuramente não vai ter mais peixes?, diz.

Francisco ainda acrescenta que sempre aconselha a todos os pescadores que respeitem a Piracema e a reprodução dos peixes e lembra que o apoio do governo e do Sine são fundamentais para garantir a sobrevivência destes profissionais. ?O seguro é muito importante. É algo que precisamos muito e que o governo nos dá como forma de sobreviver. O Sine também é muito importante para a gente, porque sempre ajuda a resolver nossos problemas?, conta.

Fonte: Flávia Araújo