DF: Corpo de Oscar Niemeyer será velado no Palácio do Planalto hoje e enterrado no Rio

DF: Corpo de Oscar Niemeyer será velado no Palácio do Planalto hoje e enterrado no Rio

O embarque para Brasília está marcado para o meio-dia.

Após ser embalsamado na Santa Casa de Misericórdia, o corpo Oscar Niemeyer voltou no início desta manhã para o Hospital Samaritano, onde morreu na noite de quarta-feira (5). Familiares e amigos participaram de uma missa no local em homenagem ao arquiteto.

A previsão é de que o corpo de Niemeyer permaneça no hospital, em Botafogo, zona sul do Rio, até as 11h. O embarque para Brasília está marcado para o meio-dia, com decolagem do aeroporto Santos Dumond, no centro do Rio, segundo a assessoria de imprensa do hospital.

O corpo do arquiteto será velado no Palácio do Planalto ainda nesta quarta. A presidente Dilma Rousseff ofereceu o palácio à família, que aceitou.



Inicialmente, a previsão é que o corpo retorne no fim da tarde para o Rio. O enterro está previsto para sexta-feira (7).

Após cerca de um mês internado, Niemeyer morreu na noite de quarta-feira por complicações provocadas por uma infecção respitatória.

O arquiteto carioca, que completaria 105 anos em 15 de dezembro, deu entrada no hospital Samaritano, em Botafogo, na zona sul do Rio, em 2 de novembro, a princípio para tratar de uma desidratação, em sua terceira internação no ano. Mais tarde, porém, Niemeyer apresentou hemorragia digestiva e houve piora em sua função renal. Na terça-feira (4), uma infecção respiratória levou a uma piora no estado clínico de Niemeyer. Na manhã desta quarta, o arquiteto sofreu uma parada cardiorrespiratória.





Em outubro, ele havia ficado duas semanas no hospital também por causa de uma desidratação. Em maio, o arquiteto teve pneumonia e chegou a ficar internado na UTI. Recebeu alta depois de 16 dias. Em abril de 2011, foi submetido a cirurgias para a retirada da vesícula e de um tumor no intestino. Na ocasião, ele ficou internado por 12 dias por causa de uma infecção urinária.

Nascido no bairro de Laranjeiras, no Rio, Oscar Niemeyer se formou em arquitetura e engenharia na Escola Nacional de Belas Artes em 1934. Em seguida, trabalhou no escritório dos arquitetos Lúcio Costa e Carlos Leão, onde integrou a equipe do projeto do Ministério da Educação e Saúde.

Por indicação de Juscelino Kubitschek (1902-1976), então prefeito de Belo Horizonte, Niemeyer projetou, no início dos anos 1940, o Conjunto da Pampulha, que se tornaria uma de suas obras brasileiras mais conhecidas.

Em 1945, o arquiteto ingressou no Partido Comunista Brasileiro (PCB), entrando em contato com Luiz Carlos Prestes e outros políticos. Ao longo das décadas, travou amizades com diversos líderes socialistas ao redor do planeta, viajando constantemente à União Soviética --conjunto de países comunistas liderado pela Rússia-- e a Cuba.

Em 1947, Niemeyer fez parte da comissão de arquitetos que definiria o projeto da sede da ONU (Organização das Nações Unidas) em Nova York. A proposta elaborada por Niemeyer com o franco-suíço Le Corbusier serviu de base para a construção do prédio, inaugurado em 1952.

Durante os anos 50, projetou obras como o edifício Copan e o parque Ibirapuera, ambos em São Paulo, além de comandar o Departamento de Arquitetura e Urbanismo da Novacap, responsável pela construção de Brasília.

Ao lado de Lúcio Costa, ajudou a dar forma à nova capital, concebendo edifícios como o Palácio da Alvorada e o Congresso Nacional.

Inaugurada em abril de 1960, Brasília transformou a paisagem natural do Brasil central em um dos marcos da arquitetura moderna.

Fonte: Folha