Homenagem: Dia 8 de março retrata a luta das mulheres

Homenagem: Dia 8 de março retrata a luta das mulheres

8 de março foi aprovado na Conferência de Mulheres Socialistas, na Suíça, em 1910.

No mês de março, as mulheres ganham homenagens, recebem flores, as lojas se pintam de cores teoricamente femininas e incentivam o consumo através de promoção e sorteios. Mas a verdade é que o dia 8 de março nada tem a ver com comércio ou presentes.

A data refere-se mesmo a um dia de luta das mulheres, que ainda sofrem com a desigualdade de gênero e todas as consequências dessa realidade. O 8 de março foi aprovado na Conferência de Mulheres Socialistas, na Suíça, em 1910.

Alguns acreditam que foi uma homenagem a 129 operárias mortas em um incêndio provocado pelo patrão, em 1857, nos EUA. Contudo, pesquisas recentes buscam demonstrar que as origens da data estão relacionadas ao contexto do início do século XX e da 1ª Guerra Mundial, nos quais se destacaram as lutas das operárias por salários dignos, redução da jornada e melhores condições de trabalho, e pelo direito das mulheres ao voto e à igualdade.

Desde então, elas tiveram muitos avanços, como o direito ao divórcio, ao voto, ao casamento civil, entre outros. Mas ainda há muito que se conquistar. As mulheres ainda recebem 30% a menos do que um homem para fazer os mesmos serviços e são as que têm menos direitos sociais.

Diante disso, diversas entidades do movimento sindical, estudantil e popular, além de partidos de esquerda, resgatam nessa data, o Dia Internacional de Luta da Mulher. A programação começou ontem com um debate no auditório do IFPI, onde foi debatido o tema ?Mulheres Trabalhadoras, Crise Econômica Mundial e a Criminalização das Lutas?.

Segundo a integrante do coletivo de mulheres da Executiva Nacional dos Estudantes de Comunicação Social, Dalila Cristina Silva, é difícil inserir a luta da mulher na sociedade machista e opressora atual.

?Tem muita gente que diz que as mulheres já conquistaram seu espaço e que não temos mais por que lutar, mas ainda hoje somos relegadas a cozinha, ganhamos menos que os homens e temos que enfrentar um jornada tripla de trabalho?, afirma Dalila.

Hoje, as atividades continuam a partir das 8 horas, com concentração na Praça do Fripisa. As mulheres trabalhadoras e estudantes organizam um ato público com o intuito de mostrar à população que lugar de mulher é nas ruas, na luta pelos seus direitos.

Rede Meio Norte rende homenagem inédita a mulheres marcantes


Clique aqui e veja imagem ampliada

Dia 8 retrata a luta das mulheres
Dia 8 retrata a luta das mulheres

Fonte: Nayara Felizardo