Saúde: Diabetes mata mais que a Aids e trânsito

Saúde: Diabetes mata mais que a Aids e trânsito

Estima-se que até 2030 o número de pessoas com o problema em todo o mundo será de 550 milhões.

A diabetes está virando um problema cada vez mais sério. Dados do Ministério da Saúde mostram que essa doença mata quatro vezes mais do que a Aids e supera ainda o número de mortes causadas por acidente de trânsito, no Brasil. Segundo a coordenadora de atenção à Saúde do Adulto e do Idoso, da Secretaria Estadual de Saúde, Gisela Brito, essa situação é grave, mas pode ser melhorada com a conscientização da população.

Para levar informações à população foi realizada ontem, na Praça João Luís Ferreira, no centro de Teresina, uma série de atividades alusivas ao Dia D contra o Diabetes. Durante o evento, Gisele chama atenção para a necessidade de prevenção e tratamento dos fatores de risco, como o fumo, o consumo em excesso de álcool, a obesidade, dentre outros.

?Hoje, no Piauí, a população masculina apresenta um percentual acima da média nacional no que se refere à predominância de fatores de risco para a diabetes. Isso é preocupante e precisa ser mudado. Caso isso não aconteça, a situação poderá se agravar ainda mais. Por isso é importante nós levarmos informações para a população, para que ela saiba como se cuidar e principalmente saiba da importância de prevenir?, pontuou.

Uma previsão da Federação Internacional de Diabetes mostra que até 2030, o número de pessoas com o problema em todo o mundo será de 550 milhões. Hoje, são 366 milhões. No Brasil, a ocorrência média na população adulta é de 5,2%, o que representa algo em torno de 6,5 milhões de indivíduos. No Piauí, esse percentual chega a 5%. Só em Teresina, são cerca de 29 mil pessoas com a doença.

O vice-presidente da Associação dos Diabéticos do Piauí, Raimundo Júnior, comenta que hoje o poder público dá pouca atenção a esse público e ainda não se conscientizou da necessidade de prevenção dessa doença. ?O tratamento de um diabético é muito mais caro do que as formas de prevenção. Estudos mostram que a cada R$ 1,00 que se gasta com prevenção é responsável por uma economia de R$ 6,00 no futuro, que seriam gastos com o tratamento destas pessoas?, argumentou.

Os dados apresentados pelo ministério sobre números de morte causados pela doença têm como base número de 2010, quando cerca de 54 mil pessoas morreram por consequência do diabetes. Outros 68,5 mil faleceram por problemas como câncer e complicações cardíacas, mas tinham a diabete como um fator associado. No total, são aproximadamente 123 mil mortes. Como comparação, no mesmo ano o HIV tirou a vida de algo em torno de 12 mil pessoas, enquanto os acidentes automobilísticos causaram cerca de 42 mil óbitos.

Fonte: Pollyanna Carvalho