Diretor afirma que comediante detido com drogas continua no Pânico

Laudo apontou que artista estava com 10 decigramas de cocaína

O comediante Marcos da Silva Herédia, de 28 anos, o Zina do programa Pânico, da RedeTV!, preso na quarta-feira (28) com pequena quantidade cocaína, continuará trabalhando na emissora. A informação é do diretor de comunicação da TV, Caetano Bedaque.

"Nós lamentamos o ocorrido, mas o Zina continuará no programa", disse Bedaque, por telefone, ao G1 nesta quinta (29). Segundo o diretor, o humorista "não está dando entrevistas" para comentar o assunto. Zina foi detido na quarta e liberado no mesmo dia na delegacia na Zona Norte de São Paulo, após assinar um termo circunstanciado (documento usado em ocorrências de menor potencial ofensivo).

Policiais militares haviam encontrado droga com ele, após denúncia anônima de que um homem estaria armado na região. A confirmação de que o pó era mesmo cocaína foi dada pelo Instituto de Criminalística (IC), que enviou o laudo ao 74º Distrito Policial, em Parada de Taipas.

Segundo laudo, havia 10 decigramas de droga com o humorista. Zina vai responder em liberdade por porte droga. Segundo o delegado responsável pelo caso, Renato Climas, a pena deverá ser prestação de serviços comunitários. À polícia, Zina declarou que só falaria em juízo por orientação dos advogados.

O humorista cobriu o rosto ao sair da delegacia e não quis falar com a reportagem do G1, assim como seus defensores. A RedeTV! divulgou comunicado em que lamentou o ocorrido. Prisão Policiais militares prenderam o humorista por volta das 7h, após uma denúncia anônima sobre dois homens supostamente armados na Rua Capela da Lagoa, na Zona Norte de São Paulo.

Ao chegar ao local, os policiais dizem que não encontraram arma, mas uma pequena porção de material que, logo depois, confirmou-se ser cocaína. De acordo com o delegado Climas, o humorista havia afirmado informalmente que o frasco continha a droga. Os advogados do comediante não quiseram se pronunciar sobre a prisão de Herédia.

Fonte: g1, www.g1.com.br