Distúrbio faz mulher ficar arrancando a própria pele o dia inteiro

Desesperada, ela entrou em depressão e tentou se matar.

Uma mulher chamada Angela Hartlin passava por momentos de grande tortura por não conseguir controlar o distúrbio que atormentou a sua vida por tantos anos. Dentre tantos sofrimentos que passava a mulher abria buracos nas pernas, braços, peitos e no rosto.

Portadora da dermatotilexomania, Angela não sabia mais o que fazer. O distúrbio produz uma vontade incontrolável de espremer, arranhar e machucar a própria pele. Como consequência, a mulher passou por uma grande depressão e tentou se matar.

Os médicos diziam que Angela, de 29 anos, jamais se recuperaria do problema. Desesperançada, ela abandonou a faculdade e passou a se esconder, com pânico de ser vista em público. Agora graças à terapia, a canadense conseguiu se recuperar e sua pele está completamente curada.

“Eu mexia na minha pele o tempo todo, sentia raiva mas depois sentia alívio quando fazia aquilo. Era automático, nunca entendi o porque disso mas não falava para ninguém, dizia que era acne”, afirmou.

Depois de 12 semanas de tratamento psiquiátrico intenso, ela finalmente começou a se recuperar. “Ainda não estou livre completamente do problema. Há, sim, dias em que eu sinto o impulso. Gostaria apenas que as pessoas soubessem que, se têm algo como eu, não estão sozinhas no mundo, e há meios de buscar ajuda. Vir a público contar a minha história tirou um enorme peso dos meus ombros. Agora sei que não preciso esconder esta parte de mim”, disse.

Image title

Image title

Image title


Fonte: Com informações do R7