Documentos de antigas escolas estão perdidos

Jornalista sofre para conseguir documentos

Conseguir um simples histórico escolar pode tornar-se um verdadeiro calvário. A jornalista Carmem Passos é um exemplo de como muitas escolas podem não ter responsabilidade sobre os documentos de seus alunos. Ao solicitar o histórico escolar ela descobriu simplesmente que o documento sumiu. Não há registro na Secretaria Estadual de Educação (Seduc) do documento.

Carmem Passos precisa de alguns documentos para conseguir fazer um curso nos Estados Unidos. Na saga para conseguir o documento ela começou tentando localizar representantes do colégio Andreas, onde estudou. ?Eu tentei, em primeiro lugar, saber se o colégio havia apenas mudado de nome, mas acabei descobrindo que havia sido fechado. Então, eu liguei para a Secretaria de Educação porque, segundo a lei, os documentos devem ser transferidos para la?, relata.

Mas, na secretaria de educação outra surpresa. Ela conta que pediu ao departamento de documentação da Seduc que não localizou o histórico escolar. Carmem relata ainda que o departamento chegou a contactar os ex-donos da escola e que talvez ainda seja possível reconstituir o histórico escolar a partir das notas presentes nas cadernetas de presença. ?Uma pergunta para eles: o que estes documentos estao fazendo em maos privadas passados tantos anos do fechamento da escola??, comenta Carmem Passos sem entender porque seu histórico escolar simplesmente desapareceu.

Para a ex-aluna do Andreas é desesperador a situação de não ter o registro das notas. ?È uma sensação desesperadora. Estou com este problema há mais ou menos cinco meses. Não recordo sentir tanta raiva como estou sentido agora?, pontua. Como ela estudou também no Pará e o problema repetiu-se ela acredita que a solução passa por uma ação mais ampla. ?Não acredito que o problema de documentos escolares no Piauí, no Pará ou no Brasil em geral terá solução enquanto o Ministério Publico não agir seriamente e colocar essas pessoas atrás da grades?, afirma

A situação expõe o descontrole dos arquivos. ?Os donos da escola são levianos e irresponsáveis. Alguem precisa entender que as escolas privada precisam de fiscalização seria quando estão funcionado e também quando fecham, para que seja feito o tombamento deste documentos antes da transferência deles para o arquivo publico?, comenta Carmem. O setor de documentação da Seduc foi buscado, mas não deu resposta até o fechamento. (C.R.)

Fonte: Carlos Rocha, Jornal Meio Norte