Mulher vítima de um linchamento é enterrada sob gritos de justiça

Mulher vítima de um linchamento é enterrada sob gritos de justiça

Cerca de 300 pessoas foram ao cemitério prestar uma última homenagem a Fabiane

Ao som de gritos de ?queremos justiça", a dona de casa Fabiane Maria de Jesus, de 33 anos, foi enterrada na manhã desta terça-feira no Cemitério Jardim da Paz, no Guarujá, litoral de São Paulo. Fabiane foi linchada por moradores do bairro Morrinhos no sábado, após ser confundida com uma suposta sequestradora de crianças para ritual de magia negra cujo retrato falado estava sendo divulgado na internet. A Polícia Civil ouviu nesta terça-feira o responsável pelo site ?Guarujá Alerta?, que publicou a foto da suposta criminosa.

Cerca de 300 pessoas foram ao cemitério prestar uma última homenagem a Fabiane. O grupo cantou ao menos três vezes um dos cantos religiosos preferidos da dona de casa, que diz ?meu advogado mora lá no céu. Verdadeiro e justo ele é sempre fiel. Meu advogado é Jesus!?.

- Vamos cobrar justiça. Mas não justiça com nossas próprias mãos, a justiça verdadeira, a justiça de Deus - disse um dos primos de Fabiane, que, na sequência, convocou uma ?passeata pela paz? até a Praça Mário Covas, próximo ao cemitério.

Espancada enquanto segurava a bíblia

Amigos da dona de casa descreveram Fabiane como uma mulher dedicada à família e à igreja. Frequentadora da Igreja São João Batista, no mesmo bairro onde ocorreu o linchamento, ela foi espancada enquanto segurava uma bíblia, onde guardava fotos das duas filhas - de 12 e 1 anos.

Muito emocionado durante toda a cerimônia, o porteiro Jailson Alves das Neves, de 40 anos, ficou todo o tempo abraçado ao irmão e a um primo. Ao final do protesto, disse que não tinha condições de falar com a imprensa, mas agradeceu ao apoio de vizinhos, parentes e amigos:

- É uma amostra do amor que ela espalhou para amigos e parentes e toda a comunidade. Foi uma forma bonita de retribuir.

Amigos acreditam que as agressões começaram depois que Fabiane entregou uma banana que havia acabado de comprar para uma criança que estava na calçada. O ato teria sido mal interpretado por transeuntes. Ainda segundo familiares, os agressores não notaram que as fotos que estavam dentro da Bíblia que ela carregava eram de suas filhas.

Uma nova passeata ocorrerá no domingo às 10h.

Segundo a polícia, Fabiane apresentava problemas psiquiátricos - sofria de transtornos bipolares, alternando estados de agitação e depressão - e não consta qualquer ocorrência ou acusação contra ela. A Polícia também não confirma sequestro e morte de crianças em rituais de magia negra no Guarujá.

Fonte: OGlobo