"Dor pesada", diz homem que perdeu três parentes em grave acidente na Bahia

"Dor pesada", diz homem que perdeu três parentes em grave acidente na Bahia

A colisão envolveu o ônibus, que transportava 44 trabalhadores do corte de cana, um caminhão e uma carreta

Parentes e amigos de pernambucanos que estavam no ônibus envolvido no acidente ocorrido neste sábado (3), na Bahia, estão abalados. Na cidade de Buíque, no Agreste de Pernambuco, a 258 quilômetros do Recife, para onde as vítimas estavam sendo transportadas do Mato Grosso do Sul, o Governo de Pernambuco montou um ponto de apoio para os familiares. A informação do Governo Estadual é que 33 pernambucanos morreram na tragédia. De acordo com a Polícia Rodoviária Federal de Milagres (BA), 12 pessoas ficaram feridas, entre elas, também há pernambucanos.

A Secretaria de Saúde de Buíque está recebendo as pessoas interessadas em verificar a lista com o nome das vítimas do acidente, de acordo com reportagem da TV Asa Branca. Cícero Monteiro encontrou o nome do filho, do genro e do cunhado. ?É uma dor muito pesada para mim e para a família?, disse.

O dia no hospital do município também foi de desespero. ?Muitas pessoas chegaram aqui chorando, correndo, desmaiadas, e a gente prestando assistência a elas?, falou a diretora da unidade, Nazilda Torres.

O Governo Estadual determinou, neste sábado, o envio de psicólogos e assistentes sociais da Secretaria de Desenvolvimento Social e Direitos Humanos para Buíque. No domingo (4), deve seguir para o município uma equipe do Centro de Referência Especializado de Assistência Social (Creas).

O Governo também mandou representantes à Bahia para acompanhar os trabalhos em torno do acidente, além de dois veículos de Corpo de Bombeiros e um caminhão refrigerado do Instituto de Medicina Legal (IML), para realizar o transporte dos corpos.

Alguns parentes das vítimas, em Pernambuco, também foram à Bahia para fazer o reconhecimento dos corpos. O último balanço divulgado pelo Hospital Prado Valadares, de Jequié, na Bahia, divulgado às 14h30, informou que 33 pessoas morreram e 13 ficaram feridas, sendo três em estado gravíssimo. Os corpos estão nos IMLs de Jiquié e de Vitória da Conquista, na Bahia.

O Governo de Pernambuco, que decretou luto oficial de três dias por causa da tragédia, estima que mais de 30 pernambucanos estão entre as vítimas. De acordo com o secretário estadual de Saúde, Antônio Figueira, dois pacientes que estão internados em estado grave no Hospital Prado Valadares serão transferidos para o Recife. "Os dois pacientes vão ser removidos de avião para o Recife amanhã [domingo] e serão encaminhados ao Hospital da Restauração. Há ainda um terceiro paciente onde já foi constatada morte encefálica", informou.

Acidente

A colisão envolveu o ônibus, que transportava 44 trabalhadores do corte de cana, um caminhão e uma carreta carregada com materiais de escritório. Os trabalhadores seguiam da cidade de Jateí, em Mato Grosso do Sul, para Pedra e Buíque, no Agreste de Pernambuco.

O acidente aconteceu no km 583 da BR-116, região conhecida como "Serra do 100". De acordo com as informações da PRF de Milagres, o local é uma ladeira. No trecho, a estrada é composta por três pistas, duas utilizadas para subida e uma usada para descida.

De acordo com a polícia, o ônibus com os trabalhadores fazia uma ultrapassagem permitida nas duas vias de subida no momento em que a carreta descia a estrada no sentido contrário. O motorista da carreta teria perdido o controle e o semi-reboque que ela transportava teria invadido a pista contrária, atingindo o ônibus e jogando-o para fora da pista. O caminhão, por sua vez, foi atingido pelo ônibus.

A Polícia Rodoviária Federal (PRF) afirma que o ônibus envolvido não tinha autorização da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) e circulava mediante uma liminar expedida pela Justiça de Brasília.

Fonte: G1