""É um milagre minha mãe estar viva"", diz Roger Flores sobre tentativa de assalto no Rio de Janeiro

""É um milagre minha mãe estar viva"", diz Roger Flores sobre tentativa de assalto no Rio de Janeiro

O médico Michel Simoni, amigo da família de Roger, informou que ela passa bem após a operação

"É um milagre minha mãe estar viva", disse o jogador Roger Flores, do Cruzeiro, nesta quinta-feira (3), no hospital onde Geuse Galera, de 52 anos, se recupera de uma cirurgia após ser baleada em uma tentativa de assalto em Ipanema, na Zona Sul do Rio.

"São pessoas cruéis, que não tem nenhum comprometimento com a vida. Eles atiraram à queima roupa, e o ferimento dela, graças a Deus, não foi tão grave," disse Roger no Hospital Copa D?Or, em Copacabana, na Zona Sul.



Na noite de quarta-feira (2), Geuse e seu namorado, o piloto Paulo Viola, estavam em uma moto quando foram abordados por criminosos nas ruas Alberto de Campos e Almirante Saddock de Sá. Ele teria reagido ao assalto e por isso os criminosos atiraram, fugindo em seguida pela contramão. Paulo morreu na hora com seis tiros. Ele foi enterrado na tarde desta quinta-feira no cemitério São Francisco Xavier, no Caju, na Zona Portuária.

"O pior é o que ela está passando agora, com o estado emocional de ver a pessoa que ela amava morrer em seus braços" concluiu Roger na entrevista concedida a jornalistas. Segundo o jogador, o casal estava saindo da casa de Paulo para assistir ao jogo de Roger na casa de Geuse. O time do atleta estava jogando na Colômbia, onde ele ficou sabendo da tentativa de assalto.

Operação

O médico Michel Simoni, amigo da família de Roger, informou que ela passa bem após a operação que durou cerca de 1h20. Geuse está lúcida e tem previsão de receber alta em 48 horas.



"Ela está consciente, lúcida, lembra de tudo o que aconteceu. Ela disse que foi tudo muito rápido e está alternando momentos de depressão e choro", contou o médico da família.

Simoni informou ainda que durante a cirurgia os médicos puderam constatar que não houve lesão neuromuscular, que era a grande preocupação da equipe.

Roger chegou ao hospital no início da tarde desta quinta para visitar sua mãe. Ele entrou pela porta dos fundos e não quis falar com a imprensa. Na quarta-feira, quando ocorreu o crime, o jogador estava na Colômbia, em uma partida pela Copa Libertadores da América, e chegou ao Rio num avião fretado.

Segundo o hospital, ela foi ferida no ombro e no punho e seu quadro é estável. Geuse passou a noite em um quarto, acompanhada de familiares.

Geuse levou dois tiros

Após ser baleada, Geuse foi levada para o Hospital Miguel Couto, no Leblon, e, em seguida, transferida na noite de quarta-feira (2) para o Copa D"Or. A informação foi confirmada pelo médico Michel Simoni, que trabalhou com Roger no Fluminense.

De acordo com o médico, Roger pediu que a mulher Deborah Secco ligasse para ele. "Vim assim que soube da notícia. Tenho uma relação de confiança com Roger. Escolhemos transferi-la para o Copa D"Or porque o chefe da equipe de ortopedia do local já trabalhou comigo no Hospital da PM e é bastante habilitado. Ela foi baleada no ombro e antebraço esquerdos, passa bem e está consciente, mas muito abalada com a morte do namorado", explicou o médico.

Assaltos são comuns na região

De acordo com o morador da Rua Alberto de Campos, Michael Victor, de 37 anos, assaltos são comuns na região. "Meu prédio foi assaltado em dezembro. Isso é muito frequente por aqui. Tinha uma cabine da PM na rua, mas foi removida", contou o morador.

Segundo a polícia, os agentes recolheram fitas das câmeras de segurança dos prédios da redondeza para analisar as imagens e tentar identificar os criminosos. O caso está sendo investigado pela Divisão de Homicídios, na Barra da Tijuca, Zona Oeste.

Fonte: g1, www.g1.com.br