27% dos brasileiros fecharam 2011 ‘enforcados’ nas dívidas

Eles gastam muito mais do que ganham e somam 1/3 dos gastos do país. "Afortunados’, que guardaram dinheiro, encerram ano com fatia de 25%


27% dos brasileiros fecharam 2011 ?enforcados? nas dívidas, diz pesquisa

O Brasil fechou 2011 com 27% dos brasileiros ?enforcados? financeiramente ? gastando muito mais do que recebem, ou altamente endividados ? aponta estudo divulgado nesta quinta-feira (13) pela empresa de pesquisas sobre consumo Kantar Worldpanel.

O grupo, considerado o mais endividado, representa um terço dos gastos do país. É formado prioritariamente por donas de casas jovens de até 29 anos e casais com crianças pequenas. Entre as dívidas dos "enforcados" em 2011, 18% foram para gastos com habitação, o que torna o grupo o que mais gasta com moradia.

No encerramento do ano passado, 52% dos lares brasileiros, contudo, estavam endividados a ponto de gastar mais do que recebem ? isso signifca que uma parcela de 25% são os "endividados equilibrados", que também ganham menos do que gastam, mas em proporção menor do que os "enforcados". Em 2008, o nível de quem gasta mais que recebe era de 49%.

Outros 23% representam "equilibrados saudáveis", que estão no limite entre gasto e renda.

Afortunados

O grupo de "afortunados", que conseguiu acumular uma sobra de renda ao final do mês em 2011, por sua vez, foi de 25% da população. A parcela é representada, em sua maioria, por donas de casa com idade acima de 50 anos e pessoas independentes (sem filhos, com filhos já adultos ou que moram sozinhas). Os afortunados, por sua vez, destinaram 11% dos gastos para habitação.

"Cada vez as donas de casa mais velhas estão se dispondo a gastar mais com elas, com outras coisas que não são só os gastos com o lar", diz Christine Pereira, diretora comercial da empresa. Ela avalia, contudo, que para os "enforcados", por exemplo, o peso com os gastos de habitação é muito alto.

No caso dos bens de consumo não duráveis, os mais endividados destinam 23% da renda, ante 28% dos "afortunados" que usam dinheiro para esse destino.

Para a pesquisa, a Kantar Worldpanel visita semanalmente 8,2 mil lares e monitora o comportamento de compra de 27,5 mil indivíduos há oito anos. A amostra representa 91% do potencial de consumo do país, diz a empresa.

Cenário em 2012 no Rio e SP

Apesar do cenário de endividamento em 2011, um outro levantamento da consultoria aponta que 45% da população das regiões metropolitanas do Rio de Janeiro e de São Paulo, por exemplo, planeja endividar-se em 2012, parcela maior do que a de 42% registrada há quatro anos.

Mesmo com o endividamento, quando questionado sobre a intenção de economizar, o brasileiro dessas regiões se mostra otimista, diz estudo da consultoria: 72% da população afirma que gostaria de guardar dinheiro ? percentual superior ao registrado em metrópoles da América Latina, com 63%.

O aumento do nível de endividamento entre 2008 e 2011, contudo, não impediu que subisse também a intenção de poupar, que atingia apenas 29% da população dessas áreas há quatro anos.

De uma forma geral, contudo, a empresa aponta que, neste ano, 56% da população dessas regiões encontra-se pagando dívidas. O cenário, contudo, melhorou ? em 2008, a parcela era de 60%.

Segurança

Levantamento da Kantar mostra, ainda, que a insegurança e a violência geram gastos aos brasileiros dessas duas regiões metropolitanas, que destinam cada vez mais recursos com seguro de vida, carro e casa. Os gastos com esses produtos subiram de R$ 822 por família em 2008 para R$ 1.122 em 2011. Só no ano passado, a alta foi de 28% sobre 2010.

Ainda nessas duas regiões, 24% dos lares recebem ajuda do governo, cenário parecido em metrópoles da América Latina.

A pesquisa aponta que a população dessas regiões é otimista: 97% das pessoas afirmaram que em 2013 estarão em situação financeira pessoal melhor ou igual a 2012. Com relação a situação do país, 86% das famílias se mostram mais otimistas.

Fonte: G1