55% dos varejistas preveem vendas boas com o Dia dos Pais

55% dos varejistas preveem vendas boas com o Dia dos Pais

Para 36%, faturamento será o mesmo que em 2010; 9% esperam queda

O faturamento do comércio com o Dia dos Pais deve crescer neste ano em relação à mesma data do ano passado, de acordo com a expectativa de 55% dos varejistas do país, aponta pesquisa divulgada nesta segunda-feira (1º) pela Serasa Experian.

De acordo com o estudo, na estimativa de 36% dos comerciantes, o faturamento será o mesmo que em 2010, enquanto 9% esperam queda. A pesquisa entrevistou 1.016 empresários do país entre os dias 7 e 13 de julho.

A Serasa Experian avalia que as expectativas dos empresários estão em um nível positivo, já que o Dia dos Pais não é uma data tão forte como o Dia das Mães ou o Dia dos Namorados para o varejo. Além disso, a instituição lembra que o país vive um ambiente de juros mais altos e restrições ao crédito.

Presentes

Neste Dia dos Pais (14 de agosto), os presentes mais procurados, segundo previsão dos varejistas, serão: roupas, sapatos e acessórios (56%); telefones celulares e smartphones (19%); perfumaria e cosméticos (9%); eletrônicos (7%); produtos de informática, incluindo tablets (2%); bebidas (2%); joias, relógios e canetas (1%) e outros (3%).

Nessa lista, os artigos de vestuário e os celulares continuam como os presentes mais procurados em relação à lista do ano passado. Os produtos de informática ganharam mais espaço, passando de 1% para 2%, possivelmente pela maior oferta de tablets.

A maioria dos presentes (41%) deve ser de R$ 51 a R$ 100, na estimativa dos varejistas. Outros 25% estão nas faixas de até R$ 50; 24% de R$ 101 a R$ 200; 7% de R$ 201 a R$ 300; 2% de R$ 301 a R$ 500; e 1% acima de R$ 500. Em geral, 66% dos presentes custarão até R$ 100.

A pesquisa indica que 47% das compras serão feitas à vista e 53%, a prazo. Na mesma data de 2010, essa composição era de 49% e 51%, na mesma ordem.

As vendas à vista devem ser feitas com os seguintes meios de pagamento: 41% em dinheiro; 24% em cartão de crédito; 19% em cartão de débito; 14% em cheque; 1% em cartão da própria loja e 1% em outros. Já as vendas a prazo serão compostas: 49% em cartão de crédito parcelado; 25% em cheque pré-datado; 19% em financiamento ou crediário; 2% em cartão de débito parcelado; 2% em cartão da própria loja parcelado e 3% em outros.

Fonte: G1