Ações do Cruzeiro do Sul disparam 25% com possibilidade de venda

Ações do Cruzeiro do Sul disparam 25% com possibilidade de venda

O novo dono do Cruzeiro do Sul terá de trazer pelo menos R$ 700 milhões ao banco

As ações do banco Cruzeiro do Sul voltaram a disparar nesta quinta-feira com a possibilidade de negócio com o Banco Santander.

Os papéis preferenciais do banco encerraram o dia com valorização de 24,5%. É o terceiro dia seguido de alta das ações do Cruzeiro do Sul, que chegaram a desabar 88% após a intervenção no Banco Central, no início de junho.

Nesta semana, os papéis do banco já subiram 44,77%.

Interventor do banco, o FGC (Fundo Garantidor de Créditos) deu mais um dia de prazo para os bancos interessados em comprar o banco Cruzeiro do Sul fazerem uma oferta. Segundo reportagem do "Valor", o Santander entrou na negociação ontem para evitar a liquidação do banco.

Também foi estendido o prazo para os credores nacionais e estrangeiros aderirem à proposta de reestruturação da dívida do banco, que prevê um desconto de 49,3%. Segundo fontes do mercado, quase 90% dos credores aceitaram a proposta de reestruturação feita pelo FGC.

ROMBO

O novo dono do Cruzeiro do Sul terá de trazer pelo menos R$ 700 milhões ao banco, que teve um rombo financeiro de R$ 3,1 bilhão, decorrente de mais de 300 mil empréstimos consignados fictícios, maquiagem de balanço, entre outros crimes.

O principal negócio do Cruzeiro do Sul é o crédito consignado. Além do consignado, o banco tem uma corretora e uma gestora de fundos.

Procurados, o Santander e o FGC não falaram sobre o assunto.

Fonte: Folha.com