""Alimentos ajudam e inflação pelo IPCA-15 tem alta de 0,26% em setembro"", diz IBGE

No acumulado dos últimos 12 meses, o índice tem alta de 6,20%, abaixo dos 6,23%

O IPCA-15 teve alta de 0,26% em setembro, abaixo do 0,35% registrado em agosto, informou nesta quarta-feira o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estat?stica). A desacelera??o nos pre?os dos alimentos voltou a ser o fator principal na redu??o do ?ndice. No ano, o IPCA-15 acumula alta de 4,96%.

No acumulado dos ?ltimos 12 meses, o ?ndice tem alta de 6,20%, abaixo dos 6,23% registrados nos 12 meses imediatamente anteriores.

A alta acumulada do IPCA-15 nos meses de julho, agosto e setembro ? de 1,24%, ainda acima dos 0,95% verificados em igual per?odo em 2007.

Neste m?s, o ?ndice referente ao grupo Alimenta??o e Bebidas teve defla??o de 0,25%, ante alta de 0,25% observados em agosto. No ano, os alimentos t?m a alta acumulada de 10,52% no indicador.

A principais quedas entre os alimentos foram notadas no tomate (-38,41%), batata-inglesa (-8,84%), leite pasteurizado (-4,48%) e ?leo de soja (-4,08%). Tamb?m apresentaram redu??o relevante o feij?o preto (-2,76%), arroz (-1,67%), macarr?o (-1,50%) e p?o franc?s (-1,08%).

Ao mesmo tempo, o custo da refei??o fora acelerou de 0,94% para 1,48% em setembro. Outras altas constatadas no IPCA-15 de setembro foram nos pre?os da cebola (de 1,49% para 6,11%), frutas (de 0,65% para 3,70%) e cerveja (de 0,79% para 1,30%).

Nas regi?es pesquisadas, a principal queda entre os alimentos foi observada em Recife (-0,88%), seguido por Goi?nia (-0,75%) e Fortaleza (-0,72%).

Os produtos e servi?os investigados registraram alta de 0,38% em setembro, semelhante ao que foi observado no m?s anterior. Subiram os custos com habita??o (0,62%), artigos de resid?ncia (0,44%) e vestu?rio e sa?de (ambos com alta de 0,42%).

A principal press?o veio da alta de 1,05% da taxa de ?gua e esgoto, influenciada pelos reajustes nas regi?es metropolitanas do Rio de Janeiro (6,88%) e S?o Paulo (0,35%). A tarifa de telefone fixo registrou eleva??o de 0,85%, refletindo ainda reajuste autorizado pela Anatel (Ag?ncia Nacional de Telecomunica?es) no final de julho.

Os pre?os do cigarro subiram 3,67%, assim como os custos com artigos de limpeza (1,66%), cabeleireiro (1,06%), produtos de higiene pessoal (0,90%), condom?nio (0,66%), aluguel residencial (0,62%) e gasolina (0,30%).

Entre as 11 regi?es pesquisadas, a maior alta foi notada em Goi?nia (0,66%), influenciada pelo aumento da gasolina (10,44%) e do ?lcool (16,54%). Tamb?m tiveram alta acima da m?dia nacional Bel?m (0,54%), Porto Alegre (0,51%) e S?o Paulo (0,35%). Em sentido inverso, Bras?lia registrou defla??o de 0,29%.

O IPCA-15 verificou os pre?os coletados de 14 de agosto a 12 de setembro, que foram comparados aos vigentes entre 15 de julho e 13 de agosto. O indicador investiga fam?lias com renda de 1 a 40 sal?rios m?nimos nas regi?es metropolitanas de Bel?m, Fortaleza, Curitiba, Salvador, S?o Paulo, Rio de Janeiro, Recife, Belo Horizonte e Porto Alegre, al?m de Bras?lia e do munic?pio de Goi?nia.

Fonte: Folha Online, www.folha.com.br