Alimentos  básicos são os que mais sobem em THE

Alimentos básicos são os que mais sobem em THE

Nos atacados,os consumidores continuam com dificuldade em pesquisar os valores dos preços nos pontos.

De acordo com dados do Dieese, nos últimos sete meses deste ano o custo dos alimentos básicos apresentou uma elevação visível em todo o país. Em Teresina, a pesquisa de preços feita nas quatro guandes redes de supermercados realiza semanalmente o levantamento dos valores cobrados para um total de 54 produtos.



Os dados da última pesquisa realizada pela equipe do jornal Meio Norte apontaram os estabelecimentos onde é mais vantajoso adquirir os itens listados na capital.

Em primeiro lugar, com total para a cesta de R$ 295,60 ficou o Supermercado Hiper Bompreço. Logo em seguida, com uma pequena diferença de R$ 1,29 veio o Supermercado Extra com total de R$ 296,89.

Já em terceiro lugar no ranking dos supermercados que oferecem melhores preços ao cliente veio o Pão de Açúcar R$ 305,78 e em último o Comercial Carvalho com os preços mais onerosos entre os estabelecimentos pesquisados R$ 315,93. A diferença do estabelecimento mais barato para o mais caro registrada ficou sendo de R$ 20,33.

Mais uma vez o ranking dos atacadistas traz reviravoltas, mostrando que esse setor protagoniza uma disputa constante pelos consumidores: enquanto o Maxxi manteve a liderança com a soma de R$ 64,43, houve uma inversão na segunda e na terceira posições.

O Carvalho Mercadão, terceiro na semana passada, conseguiu chegar ao segundo lugar da pesquisa, com R$ 67,92. O Atacadão Carrefour caiu para a terceira colocação, com R$ 69,80, e o Makro repetiu o desempenho alcançado na semana passada, com R$ 70,92.

A diferença de preços entre o mais caro e o mais barato vinha decaindo nas últimas semanas ? tendo ficado em R$ 4,37 na edição passada da pesquisa ? mas voltou a subir, chegando a R$ 6,49.

Com cada atacadista buscando opções de marcas diferentes em cada item, fica cada vez mais desafiador fazer uma pesquisa levando em consideração a presença de marcas iguais em um bom número de produtos.

Com isso, a busca por itens similares vem sendo adotada como saída. Um bom exemplo é o item água mineral Regina 500ml, para a qual foram pesquisados itens similares em três dos estabelecimentos.

A falta da informação de preços nas prateleiras é um problema que vem agravando-se nos atacadistas. O consumidor vê-se obrigado a usar os (poucos) pontos de consulta por código de barras ? com a dificuldade de ter apenas a informação.



Fonte: Marcilany Rodrigues