Forte alta no preço dos produtos eleva gastos com alimentação; veja pesquisa

Forte alta no preço dos produtos eleva gastos com alimentação; veja pesquisa

Frutas e verduras apresentaram os preços mais elevados em comparação com as últimas semanas.

A pesquisa semanal realizada pelo Jornal Meio Norte nos quatro grandes centros de compras teresinenses revela que o valor da cesta básica e dos produtos pesquisados apresentou uma leve alta, principalmente no que se refere a frutas e verduras e ainda aos materiais de limpeza.

O destaque vai para o preço do quilo de tomate que chegou ao preço máximo de R$ 5,20. Alguns produtos, como arroz e feijão, mantiveram um equilíbrio de preços até certo tempo, mas desde o mês de janeiro vem oscilando com preços para mais. Esse aumento - pequeno, mas confirmado - não passou despercebido pelo crivo do consumidor.

Para os especialistas, o aumento dos preços de produtos básicos adquiridos nos supermercados é reflexo do crescimento do mercado consumidor e do aumento da inflação do período, comparado com o registrado no início das atividades da pesquisa semanal de preços nos supermercados da capital.

Outro ponto que tem sido aspecto de reclamação por parte dos clientes é o desrespeito aos direitos do consumidor, como o fato da má precificação dos produtos das gôndolas e o não funcionamento dos pontos de consulta via código de barras.

No ranking dos estabelecimentos que oferecem preços mais vantajosos para o consumidor, em relação aos produtos pesquisados, o primeiro lugar esta semana ficou com o Hiper Bompreço (R$ 289,02).

Já o segundo lugar nesta semana trouxe novidades, com o Pão de Açúcar ocupando a posição (R$ 298,29). O Carvalho saiu do último lugar como menos vantajoso e ficou com um total de R$ 302,09. Esta semana, em último lugar, com o total mais caro para a lista de preços pesquisados está o Extra (R$ 307,16).

ATACADOS - Nos atacados, o Atacadão Carrefour conquistou mais uma vez o posto de mercado mais econômico. O carrinho de compras totalizou R$ 66,57, apresentando uma diferença de R$ 7,14 para o supermercado mais caro.

O Carvalho Atacadão ficou em segundo lugar na pesquisa, somando R$ 70,33. A margarina Primor, o leite condensado, café solúvel e achocolatado em pó estavam mais em conta neste supermercado.

Em terceiro lugar, o Maxxi Atacado somou uma cesta de R$ 71,71. Em último lugar, o Makro Atacado ficou na lanterna da economia, com um carrinho de R$ 73,71.

Além de apresentar o maior número de mercadorias com valor mais elevado em relação aos outros supermercados, lá foi onde faltou o maior número de itens da cesta. É importante salientar que a somatória da pesquisa levou em conta apenas os produtos encontrados em todos os estabelecimentos.

A falta de produtos em estoque foi um empecilho para o andamento da pesquisa esta semana. Itens como esponja de aço Bombril, sardinha em óleo pequena, farinha de mandioca branca e fécula de mandioca estavam em falta do Makro Atacado.

No Carvalho não havia maionese Hellmans, desinfetante Veja, esponja lava-louças Scotch Brite, papel higiênico Vip e feijão carioca. No Maxxi Atacado, apenas a azeitona e detergente Limpol não se encontravam em estoque. O Atacadão Carrefour dispunha de todos os itens pesquisados.









Fonte: Marcilany Rodrigues e Olegário Borges