Ambev é empresa mais valiosa da América Latina; Petrobras é 3ª

Ambev é empresa mais valiosa da América Latina; Petrobras é 3ª

Petrobras teve maior queda entre empresas brasileiras.

A Ambev fechou o ano de 2012 como a empresa mais valiosa da América Latina, segundo dados da consultoria Economatica divulgados nesta quinta-feira (3). A Petrobras aparece na terceira posição, atrás da Ecopetrol, da Colômbia.

Segundo a Economatica, a Ambev é avaliada em US$ 129,3 bilhões, a Ecopetrol em 126,7 bilhões e a Petrobras em 124,7 bilhões.

Na lista das dez empresas com maior de mercado da América Latina, aparecem ainda as brasileiras Vale, Itaú Unibanco, Bradesco e Banco do Brasil.

Petrobras teve maior queda entre empresas brasileiras

Considerando-se apenas as empresas brasileiras de capital aberto, a Ambev foi a que teve maior aumento de valor de mercado em 2012, segundo a Economatica.

Em moeda local, o valor da Ambev passou de R$ 187,6 bilhões para R$ 264,3 bilhões. O crescimento, de R$ 76,6 bilhões, representa um aumento de 40,89%.

A empresa brasileira com maior queda de valor de mercado foi a Petrobras, que começou 2012 valendo R$ 291,6 bilhões e terminou o ano em R$ 254,9 bilhões. A perda, de R$ 36,7 bilhões, foi de 12,59%.

Entre as dez empresas com maiores quedas nominais de valor de mercado, cinco são do setor de Energia Elétrica, sendo a Eletrobrás a empresa que teve a maior queda, de R$ 16,8 bilhões.

Setor com maior crescimento foi o de Alimentos e Bebidas

O valor de mercado de 302 empresas de capital aberto brasileiras no final do ano de 2011 era de R$ 2,13 trilhões contra R$ 2,39 trilhões no final de 2012. O crescimento foi de 262,9 bilhões, ou 12,34%.

O setor com maior crescimento nominal no ano de 2012 foi o de Alimentos e Bebidas, que no final de 2011 tinha R$ 261,6 bilhões de valor de mercado contra R$ 355,4 bilhões em dezembro de 2012. O crescimento foi de R$ 93,8 bilhões, o que representa uma alta de 35,8%.

O setor de Petróleo e Gás é o setor mais atingido no ano de 2012 com queda de R$ 68,9 bilhões. O outro setor com queda é o de Energia Elétrica, com R$ 36 bilhões de de queda.

Fonte: UOL