Ambulantes têm prejuízo na frente do HGV

Com a mudança as vendas sofreram uma queda de 50%

Com a finaliza??o da mudan?a do atendimento de urg?ncia e emerg?ncia do Hospital Get?lio Vargas (HGV) para o Hospital Zenon Rocha (HZR), o movimento em torno do HGV teve uma brusca redu??o. Entre as pessoas atingidas pela mudan?a est?o os ambulantes que realizam a comercializa??o de alimentos na regi?o. Com a mudan?a as vendas sofreram uma queda de 50%, segundo estimativa dos ambulantes.

Para a ambulante No?mia Ara?jo, a queda nas vendas gera um preju?zo direto para as despesas familiares. "Normalmente eu tiro em torno de R$ 30,00 por dia, chegando a R$ 500,00 por m?s. Desde que foi iniciada a mudan?a para o outro hospital eu n?o consigo tirar mais do que R$ 15,00

por dia, ?s vezes bem menos do que isso. N?o est? mais nem valendo a pena ficar aqui", afirma.

A ambulante explica que exerce essa profiss?o por necessidade e n?o por

gosto. "Eu n?o optei por trabalhar aqui. Tenho tr?s filhas, a mais nova com 21 anos, todas s?o estudantes, t?m cursos e buscam emprego diariamente, mas at? hoje n?o encontraram nada. Eu trabalho aqui para poder sustentar minha casa e s? optei por ser ambulante porque nem eu,

nem elas encontram trabalho. Se tivesse outra op??o com certeza estaria fazendo outra coisa", ressalta No?mia Ara?jo.

Lucas Cardoso tamb?m est? passando necessidades devido ?s poucas vendas do m?s. "Eu tirava cerca de R$ 400,00 por m?s. Isso dava para ajudar em casa e ainda para os meus cuidados pessoais, mas com a queda das vendas n?o sei se vou conseguir tirar nem R$ 100,00. J? pensei em mudar para as proximidades do HZR, mas conhe?o algumas pessoas que foram at? l?, mas n?o foi permitido", diz.

Ana Paula Silva est? aguardando um posicionamento da prefeitura. Ela

conta que as vendas enfraqueceram muito e como n?o h? previs?o de retorno ao movimento antigo ela espera que as autoridades tomem uma atitude para que eles n?o permane?am no preju?zo.

"Como n?o est?o aceitando ningu?m perto do HZR e aqui o movimento caiu muito, esperamos que a prefeitura fa?a algo para nos ajudar. Eu tiro cerca de um sal?rio m?nimo por m?s aqui, mas agora acho que n?o vou chegar nem ? metade disso", ressalta a ambulante.

Fonte: Viviane Menegazzo, Jornal Meio Norte