Ao contrário de Dilma, Estados não planejam os cortes

O motivo é os compromissos que vão das folhas de pagamento às obras

Diferentemente do grau de austeridade anunciado pela equipe da presidente do Brasil, Dilma Rousseff, pelo menos os quatro Estados mais poderosos do País - São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais e Rio Grande do Sul - aceleram gastos e não planejam cortes no orçamento. Segundo o jornal Folha de S. Paulo deste domingo, as projeções dizem que o setor público busca um superávit primário equivalente a 2,91% do Produto Interno Bruto.

De acordo com o jornal, as administrações dos quatro Estados perseguirão neste ano menos da metade do superávit que fizeram em 2008, última vez em que as metas fiscais foram atingidas, no que chegaria a uma diferença de R$ 11 bilhões. O motivo é os compromissos que vão das folhas de pagamento às obras para a Copa do Mundo e a Olimpíada.

Fonte: Terra, www.terra.com.br