Após crise, GM anuncia lucro de US$ 2 bilhões no terceiro trimestre

Após crise, GM anuncia lucro de US$ 2 bilhões no terceiro trimestre

Resultado é possível mesmo com menor volume de vendas, diz empresa.

A General Motors anunciou nesta quarta-feira (10) um lucro de US$ 2 bilhões no terceiro trimestre de 2010. O crescimento corresponde a US$ 1,20 dólar por ação e eleva os ganhos da montadora americana a US$ 4,2 bilhões para os primeiros nove meses do ano.

É o terceiro trimestre consecutivo de ganhos após uma série de prejuízos em 2009, quando a empresa decretou falência e passou seu conjunto de ações às mãos do governo dos Estados Unidos, do Canadá, do sindicato United Auto Workers (UAW) e antigos credores. Este ano caminha para ser o primeiro, desde 2004, com lucro em todos os trimestres. Agora a GM prepara sua volta à bolsa; a oferta de ações é esperada para este mês.

"Sabemos que ainda temos muito trabalho a fazer", diz o novo CEO da montadora, Daniel Akerson, que assumiu após a renúncia de Ed Whitacre, em agosto passado. Whitacre conduziu a GM durante a crise e era prevista sua saída durante a retomada.

A GM ganhou US$ 2,1 bilhões na América do Norte, região que foi responsável pela maior parte do prejuízo da montadora nos anos recentes. Mas na Europa o resultado no trimestre foi negativo: perda de US$ 559 millhões. ?Ainda precisamos resolver a situação na Europa. Continuamos vigilantes na redução de custos e começamos a melhorar o trabalho de marketing com nossas marcas junto aos consumidores", diz Akerson.

Vendas menores

Há três anos a GM precisava vender cerca de 4 milhões de veículos por ano para não ficar no prejuízo. Atualmente, consegue lucrar com praticamente metade desse volume de vendas, diz um vídeo institucional da montadora postado na internet e que é mostrado a potenciais novos investidores. Ainda segundo o vídeo, os custos por hora de trabalho foram reduzidos de US$ 16 bilhões em 2005 para US$ 5 bilhões.

O lucro trimestral da GM supera o US$ 1,7 bilhão obtido por sua maior rival nos EUA, a Ford, anunciado no fim de outubro.

Fonte: g1, www.g1.com.br