Após greve, agências da Caixa Econômica terão hora extra

Após greve, agências da Caixa Econômica terão hora extra

Agências ficarão abertas por uma hora a mais até dia 28 de outubro

A Caixa Econômica Federal informou nesta terça-feira (18) que todas as agências do banco no país terão o horário de atendimento estendido em uma hora no período entre a quarta-feira (19) e a sexta-feira (28), para atender aos serviços e atendimentos que ficaram atrasados durante a greve dos bancários.

De acordo com a assessoria de imprensa do banco, o horário de abertura e fechamento das agências poderá variar em cada região do país: para saber sobre o horário da sua agência, clientes poderão se informar pelo telefone 0800 726 0101, ou buscar o telefone de cada unidade no site da Caixa.

A paralisação dos bancários começou no dia 27 de setembro e chegou a fechar 9.254 agências e vários centros administrativos de bancos públicos e privados em todos os 26 estados e no Distrito Federal. Após acordo alcançado na segunda-feira (17), os bancários retornam nesta terça ao trabalho na maioria das cidades do país.

A Caixa informou que houve atraso em diversos tipos de serviço oferecidos pelo banco, como o pagamento de benefícios como o Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS) e o PIS/Pasep, feito majoritariamente nas agências.

"A ação visa proporcionar aos clientes maior comodidade no atendimento após o encerramento do movimento paredista da categoria bancária", informou a Caixa.

Atendimento normal

A Federação Brasileira dos Bancos (Febraban) e instituições financeiras consultadas pelo G1 dizem que nenhum tipo de serviço ou atendimento está atrasado depois da paralisação.

De acordo com o Itaú Unibanco, nenhum tipo de serviço ficou acumulado durante a greve porque atendimentos mais complexos que não são realizados, como análise de crédito, são feitos nos escritórios e não nas agências do banco.

Procurados pelo G1, Bradesco, e Febraban também informaram que não detectaram irregularidades ou atrasos em nenhum tipo de atendimento em razão da greve.

Segundo o Comando Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf-CUT), a maioria dos sindicatos de bancários aprovou na noite de segunda-feira (17) a proposta apresentada pela Federação Nacional dos Bancos (Fenaban), bem como as específicas do Banco do Brasil e da Caixa Econômica Federal.

Fonte: G1