Arroz e feijão registram novas altas em pesquisa

Arroz e feijão registram novas altas em pesquisa

Visando facilitar a vida do consumidor, desde o mês de abril o Jornal Meio Norte divulga toda semana a pesquisa de preços

O consumidor que está atento às compras do mês pôde perceber que, nas últimas semanas, produtos básicos que não faltam no carrinho de compras dos brasileiros, como arroz e feijão, registraram um aumento nos preços praticados. Em todos os quatro principais supermercados pesquisados pela equipe do Jornal Meio Norte, estes dois itens registraram alta e - junto com as frutas e verduras - contribuíram para que as compras do mês de muitos tenham aumentado de valor, reduzindo a economia.

Por conta disso é que o ato de pesquisar os preços e escolher os melhores dias para as compras é essencial na hora de reduzir custos. Outro produto em que foi observado um aumento para os valores comercializados foi a carne bovina, que subiu, em média, cerca de R$ 1,00 em cada um dos seis tipos pesquisados, com destaque para o quilo da alcatra (R$ 15,98 e R$ 19,78) e da bisteca bovina (R$ 6,59 e R$ 8,68), menor e maior preços praticados respectivamente.

Apesar disso, não houve grandes alterações no ranking dos produtos e o Hiper Bompreço ocupou a primeira colocação como o supermercado mais vantajoso, com total de R$ 297,31. Em seguida vem na segunda colocação, com uma diferença apenas de R$ 2,48, o Extra, com total para a lista de itens de R$ 299,79. O supermercado Pão de Açúcar conquistou a terceira colocação, com total de R$ 319,97. Já o Comercial Carvalho ocupou a última colocação com o maior total para os itens pesquisados no valor de R$ 329,53, sendo o local menos vantajoso para o consumidor comprar a maioria dos produtos listados. A diferença do supermercado mais caro para aquele onde se encontraram os preços mais vantajosos nesta semana foi de R$ 32,22.

Em relação ao ranking dos atacadões, o Carrefour se destacou como o mais barato, com o valor total de R$ 73,04. Em seguida aparece o Maxxi, com R$ 74,53. Atacadão Carvalho e o Makro são os mais caros da semana, com o valor de R$ 78,97 e R$ 80,40, respectivamente.

Em alguns estabelecimentos, a falta de alimentos que compõem a cesta básica do brasileiro, como flocão de milho, sal e farinha, representa um transtorno ao consumidor. O Makro é o que mais se destacou nesse sentido. Da lista de 42 produtos pesquisados, sete estavam em falta.

A desorganização das seções e a falta de preços nos produtos também é um problema existente nos atacadões. No Maxxi, a etiqueta com o valor das mercadorias ainda estava sendo colocada na tarde da segunda-feira.





Fonte: Marcilany Rodrigues e Nayara Felizardo