Dívida do Piauí cai de 170% para 60% em 8 anos

Sérgio Miranda diz que a queda no índice de endividamento do Piauí é uma das maiores conquistas do Estado.

O secretário estadual de Planejamento Sérgio Miranda aponta a queda no índice de endividamento do Piauí, como uma das maiores conquistas do Estado nos últimos oito anos. Segundo ele, esse dado indica uma importante melhora na ?saúde financeira? do Estado, o que permite a contratação de novas operações de crédito dando sustentação ao desenvolvimento do Piauí.

Miranda explica que no próximo ano o governador Wilson Martins (PSB) irá administrar um Estado em crescente processo de desenvolvimento, diferente do que recebeu o ex-governador Wellington Dias (PT), quando assumiu o Governo pela primeira vez em 2002. Para ele, a consolidação da política econômica implantada no Estado será fundamental para o sucesso da próxima gestão.

De acordo com o secretário, o endividamento do Piauí em 2002 era de 170% caindo em 2009 para apenas 60%. ?Outro fator que podemos apontar como positivo é que a Receita Corrente Líquida do Estado mais que dobrou. Considerando a relação entre a dívida e a receita, podemos assegurar que o Piauí encontra-se com um dos menores endividamentos de sua história?, declarou.

Para Sérgio Miranda, a política do Governo Federal de privilegiar o desenvolvimento dos Estados menos desenvolvidos foi fundamental para o bom desempenho da economia piauiense. ?A parceria com o Governo Federal é fundamental para que nós possamos realizar as grandes obras que estavam paradas no Piauí. Essas obras impulsionam o crescimento, contribuindo para melhorar nossa imagem no país?, disse.

A parceria do Estado com o Governo Federal é vista pelo secretário com fundamental para os índices de crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) piauiense. ?As grandes obras como a Transnordestina, a melhoria e ampliação do setor elétrico, o Porto de Luis Correia atraem a atenção da iniciativa privada para o Estado. Isso contribui para o aumento não só do PIB, mas de outros indicadores sócio-econômicos?, comentou.

No próximo ano, o Governo do Estado intensificará o apóio aos arranjos produtivos locais, incentivando a produção familiar. ?Temos nove arranjos em todo o Estado. Eles contribuem para gerar mais renda e até mais empregos formais no Piauí. Estamos trabalhando para integrá-los ao mercado garantindo o desenvolvimento sustentável?, afirmou. (L.B)

Fonte: Lídia Brito