Avanço do desemprego não é motivo para alarme, disse a ministra Gleisi

Contrariado com avaliações pessimistas sobre o mercado de trabalho, o governo federal entrou em campo para rebater cenários negativos.

Contrariado com avaliações pessimistas sobre o mercado de trabalho, após o mês de junho registrar uma alta na taxa de desemprego, para 6%, o governo federal entrou em campo para rebater cenários negativos.

"O governo não está alarmado com o número do desemprego. Temos uma situação de empregabilidade boa no país e pleno emprego em muitas regiões brasileiras", disse a ministra-chefe da Casa Civil, Gleisi Hoffmann.

A titular da pasta afirmou que, diante da desaceleração da economia, "o emprego pode não avançar em ritmo mais acelerado, mas continuará com um bom saldo positivo e sobre uma base alta".

Gleisi lançou mão de planilhas oficiais para mostrar que a taxa média de desemprego no primeiro semestre de 2003 era de 12,2%, taxa que seguiu em queda nos anos seguintes e chegou a 5,7% nos primeiros seis meses deste ano.

Anteontem, o IBGE divulgou que a taxa de desemprego nas seis maiores regiões metropolitanas do país subiu de 5,8% em maio para 6% no mês passado. O percentual ficou acima do resultado de junho de 2012 (5,9%) e interrompeu uma sequencia de quase quatro anos de redução contínua do desemprego.

Fonte: UOL