Banco Central altera regras do compulsório para liberar recursos em espécie para bancos

A nova medida tem impacto a partir de 1º de dezembro

O Banco Central anunciou, na manh? desta quinta-feira (13), mais uma altera??o nas regras dos dep?sitos compuls?rios - recursos que t?m de ser mantidos na autoridade monet?ria pelos bancos - para auxiliar na libera??o de empr?stimos pelas institui?es financeiras a seus clientes, ou entre si. A nova medida tem impacto a partir de 1? de dezembro.

O objetivo da medida, novamente, ? facilitar, para as institui?es financeiras, a obten??o da chamada "liquidez" - que escasseou com a crise financeira internacional, cujos impactos mais fortes se fazem sentir desde meados de setembro. Desde ent?o, o BC j? efetuou uma s?rie de mudan?as nas regras dos compuls?rios, liberando, at? a ?ltima sexta-feira (7), R$ 56 bilh?es para o mercado financeiro.

Mudan?as

Atualmente, a al?quota do compuls?rio sobre dep?sito ? vista, que era de 45%, j? est? em 42%. Ou seja, 42% dos dep?sitos ? vista dos bancos t?m de ser recolhidos no Banco Central. Sobre dep?sitos a prazo, a al?quota ? de 15%, e sobre poupan?a ? de 20%. Existe ainda uma al?quota adicional de 5% sobre os dep?sitos ? vista, a prazo e de 10% sobre a poupan?a.

? justamente sobre essa al?quota adicional que o BC est? efetuando altera?es. A autoridade monet?ria est? permitindo que as institui?es financeiras passem a recolher em t?tulos p?blicos, ao inv?s de recursos em esp?cie, a chamada "exigibilidade adicional" sobre o compuls?rio ? vista, a prazo e sobre a poupan?a. Com isso, est? permitindo que os bancos fiquem com R$ 40 bilh?es em recursos em esp?cie em seu caixa. Pela regra anterior, eles ficavam com os t?tulos p?blicos.

Antes, a remunera??o destes recursos em esp?cie recolhidos no BC era igual ? taxa de juros, atualmente em 13,75% ao ano. A partir de agora, passar? a ser igual ao t?tulo entregue ? autoridade monet?ria. Cada papel tem um tipo de corre??o (prefixada, atrelada ? taxa Selic, ou ? infla??o, entre outros).

Impacto

O Banco Central confirmou que, com essa medida, haver? uma troca de ativos, recolhidos por meio dos dep?sitos compuls?rios. Ap?s essa altera??o, os bancos poder?o ficar com recursos em esp?cie ao inv?s de t?tulos p?blicos em sua carteira. Entretanto, os t?tulos p?blicos j? representavam um ativo considerado "l?quido", ou seja, que pode ser vendido a qualquer momento pelos bancos para obter os recursos em esp?cie. O Banco Central avalia, entretanto, que dinheiro em caixa representa um ativo mais l?quido do que os t?tulos p?blicos.

Fonte: g1, www.g1.com.br