Bancos divulgam perdas milionárias com fraude de Madoff nos Estados Unidos

Bernard Madoff foi preso e acusado na quinta-feira (11)

Grandes bancos divulgaram neste final de semana perdas de bilhões de dólares com as supostas fraudes de Bernard Madoff, ex-presidente da Nasdaq, a bolsa de valores de tecnologia dos Estados Unidos.

Em comunicado, o banco francês BNP Paribas divulgou um comunicado informando que poderá perder 350 milhões de euros com a fraude. O banco ressalta que não investiu diretamente em fundos especulativos de Madoff, mas está exposto por meio de "suas atividades de mercado" e dos empréstimos concedidos a fundos que, esses sim, investiram nos "hedge funds" (fundos especulativos) de Madoff.

Bernard Madoff foi preso e acusado na quinta-feira (11) de estar por trás de um esquema multibilionário e fraudulento de pirâmide financeira conhecido como Ponzi, informaram autoridades dos EUA. Procuradores federais acusam Madoff de comandar uma pirâmide, na qual se prometem retornos muito altos a investidores iniciais, que são remunerados com o dinheiro de quem adere ao esquema posteriormente.

O Santander, primeiro banco espanhol, também anunciou que os clientes de seu fundo especulativo Optimal têm 2,33 bilhões de euros expostos à fraude do corretor nova-iorquino. "A exposição de clientes do Grupo Santander no Optimal Strategic é de 2,33 bilhões de euros, dos quais 2,010 bilhões de euros correspondem a investidores institucionais e clientes de banco privado internacional", de acordo com nota divulgada pelo segundo banco europeu por capitalização.

No Japão, a empresa financeira Nomura Holdings anunciou que sua perda com o escândalo Madoff poderá chegar a 27,5 bilhões de ienes (US$ 302 milhões).

Também na Espanha, o BBVA, segundo maior banco do país, "está afetado em centenas de milhões de euros" pela fraude, afirma o jornal El País, que cita "fontes do mercado". Um porta-voz afirmou que o banco não fará comentários a respeito.

Fonte: g1, www.g1.com.br