Bancos preveem crescimento de 5,3%

Setor prevê inflação próxima à meta central do BC, de 4,5%

 A pesquisa da Federação Brasileira de Bancos (Febraban) de projeções macroeconômicas e de expectativas do mercado, realizada com 30 bancos, apontou a alta da estimativa de expansão do Produto Interno Bruto (PIB) para 2010, de 5,1% no levantamento de dezembro para 5,3% no de fevereiro.

De acordo com o estudo, os economistas das instituições financeiras acreditam que o aperto monetário do Banco Central (BC), que deve levar a Selic (a taxa básica de juros da economia) para 11% ao ano em dezembro deste ano, será suficiente para manter o Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) muito perto do centro da meta de inflação, de 4,5% para 2010.

"Há um cenário de otimismo por parte dos bancos que participaram da pesquisa", disse o economista-chefe da Febraban, Rubens Sardenberg. Segundo ele, o aperto monetário, que deve ser adotado pelo BC a partir de abril, não se trata de uma desaceleração forte do nível de atividade, mas sim de uma acomodação do ritmo de crescimento do país. Inflação e câmbio

As projeções apontam que o IPCA, medido pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), deverá atingir 4,6% neste ano, pouco acima dos 4,5% estimados em dezembro de 2009. A pesquisa Febraban deste mês indicou que o câmbio deve fechar 2010 em R$ 1,82 por dólar, taxa pouco superior à estimada na pesquisa de dezembro, que era de R$ 1,76. "Há um cenário tranquilo para esse indicador neste ano, mesmo que a instabilidade econômica no exterior seja o principal risco à nossa economia", comentou Sardenberg.

Fonte: g1, www.g1.com.br