BB negocia compra de banco argentino

Segundo ele, também há conversa com outros bancos do país

O presidente do Banco do Brasil, Aldemir Bendine, confirmou nesta terça-feira (15), que a instituição está conversando com o Banco da Patagônia, e também com outras instituições financeiras da Argentina, e de outros países da América Latina. A notícia de que o BB estaria buscando comprar parte do banco argentino foi divulgada nesta segunda-feira (14) pela mídia do país vizinho.

"Estamos conversando com o banco da Patagônia e com outros players. Ainda é uma conversa de prospecção. Não existia ainda um acordo de confidencialidade. Negociamos não só na Argentina, mas também com bancos de outros países da América Latina", disse Bendine a jornalistas, acrescentando que o BB divulgará ainda nesta terça-feira um fato relevante sobre o assunto.

Segundo ele, a negociação com o banco argentino faz parte da estratégia da instituição financeira em internacionalizar seus negócios. De acordo com Bendine, o banco da Patagônia é mais voltado para o varejo, com atuação "pulverizada" por toda Argentina. Informou que o banco do país vizinho possui 170 agências, sendo cerca de metade em Buenos Aires. "É um dos maiores pagadores de salários e benefícios do país", acrescentou Bendine.

Acrescentou que o banco da Patagônia é o sexto maior banco do país em ativos e o quarto em rede bancária. BRB O presidente do Banco do Brasil confirmou ainda que a instituição financeira também continua em conversações para tentar adquirir o Banco Regional de Brasília (BRB), que pertence ao governo do Distrito Federal.

"O processo continua em aberto. Uma hora podemos chegar a uma convergência de números", afirmou ele. Acrescentou que um dos maiores ativos do BRB é a folha de pagamentos do governo do Distrito Federal.

Fonte: G1 e Estadão