BB reduz juro de imobiliário e dá desconto maior para bom pagador

Redução será maior para quem pagar prestação em dia e tiver conta salário

Clientes do Banco do Brasil que pagam suas prestações em dia e mantém conta salário na instituição terão acesso a crédito imobiliário mais barato a partir de agora. O Banco do Brasil anunciou nesta sexta-feira (1º) novo modelo de composição de taxas para crédito imobiliário, dentro do programa Bom Pra Todos, que bonifica a pontualidade e a manutenção de conta salário.

O banco também anunciou a redução da taxa de juros, que pode chegar a 21% com o novo modelo. A redução contempla todos os clientes da instituição financeira, independentemente do relacionamento, mas será maior para aqueles que pagarem as prestações em dia.

Neste caso, os clientes terão redução de 0,5 ponto percentual na taxa de juros. Outro 0,5 ponto percentual de redução na taxa será obtido com a manutenção da conta salário no BB. Segundo a instituição, o cálculo da bonificação é automático e será realizado mensalmente, não sendo necessária nenhuma ação por parte do cliente.

Para aquisição de imóveis de até R$ 500 mil, por exemplo, a taxa de juros foi reduzida de 10% ao ano mais taxa referencial (TR) para 8,9% ao ano + TR, para todos os clientes do banco. Com o pagamento das prestações em dia, a taxa cairá para 8,4% a.a. + TR.

Se o cliente também receber o salário no Banco do Brasil, a taxa será ainda menor, de 7,9% ao ano + TR, o que resulta em 21% de redução na taxa de juros.

Em um financiamento de R$ 240 mil, em 300 meses, a economia gerada para o cliente poderá ser de até R$ 2.272,00 no primeiro ano e de aproximadamente R$ 28 mil no total, exemplifica o BB.

Outro exemplo é a aquisição de imóveis acima de R$ 500 mil, que teve taxa de juros reduzida em até 18,18%. A redução será de 11% a.a. + TR para 10% ao ano + TR, para todos os clientes, podendo cair para 9,5% a.a., se o cliente pagar em dia suas prestações, e para 9% a.a. se o cliente também mantiver sua conta salário na instituição.

"As mudanças adotadas vão além da redução da taxa de juros, na medida em que privilegiam o relacionamento com o cliente ao longo do tempo, bonificando a pontualidade e manutenção do salário no banco", disse, em nota, o vice-presidente de Negócios de Varejo do Banco do Brasil, Alexandre Abreu.

O novo modelo de relacionamento e as taxas reduzidas entram em vigor para operações contratadas a partir do próximo dia 4 de junho.

Crédito imobiliário

As operações de crédito imobiliário do BC fecharam o primeiro trimestre de 2012 com saldo de R$ 8,6 bilhões, expansão de 107,3% em 12 meses.

Fonte: G1