BC define nesta quarta nova taxa de juros;analistas esperam alta para 11%

De acordo com as expectativas da maioria dos analistas, nesta reunião o comitê deve elevar a Selic dos atuais 10,75%

O Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central se reúne nesta quarta-feira (2) pelo segundo dia, e deve definir a nova taxa básica de juros (Selic).

De acordo com as expectativas da maioria dos analistas, nesta reunião o comitê deve elevar a Selic dos atuais 10,75% indo para 11% ao ano, e a taxa deve terminar 2014 em 11,25%.

As reuniões do Copom ocorrem a cada 45 dias em Brasília. Participam o presidente do Banco Central e diretores de política monetária e econômica da instituição.

Nas últimas oito reuniões, os membros do Copom decidiram subir a taxa de juros --da última vez, a alta foi de 0,25 ponto percentual--, em linha com as expectativas de analistas financeiros consultados pelo BC.

Entenda como os juros são usados para controlar a inflação

Uma economia aquecida em geral é bom para todos: há mais vendas para os empresários e mais empregos para os trabalhadores.

No entanto, se há muita procura de produtos, eles podem ficar escassos e passarem a custar mais caro, causando inflação.

O Brasil possui um sistema de metas para inflação que foi instituído em junho de 1999 pelo Banco Central (BC). O indicador considerado é o Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA).

Para manter o nível de inflação esperado, o governo faz uso da política monetária, por meio da taxa básica de juros, a Selic.

Assim, caso o BC observe que a inflação corre o risco de superar a meta, a tendência é elevar os juros.

A taxa de juros foi o instrumento escolhido pelo governo, pois ela determina o nível de consumo do país, já que a taxa Selic é utilizada nas transações bancárias e, portanto, influencia os juros de todas as operações na economia.

A Selic é utilizada pelos bancos como um parâmetro. A partir dela, as instituições financeiras definem quanto vão cobrar por empréstimos às pessoas e às empresas.

Caso os juros do país estejam altos, o consumidor tende a comprar menos, porque a prestação de seu financiamento vai ser mais alta. Isso reflete na queda da inflação.

Segundo a lei da oferta e da procura, quanto maior a demanda por um determinado produto, mais elevado é o seu preço.

Do contrário, se uma mercadoria ou serviço não forem tão procurados, o preço tende a cair para atrair mais compradores.

Fonte: UOL