BC sobe para US$ 80 bi previsão de rombo nas contas externas no ano

A mudança de deveu principalmente à redução na projeção de superávit comercial

O Banco Central aumentou de US$ 78 bilhões para US$ 80 bilhões a previsão para o rombo nas contas externas do País em 2014. A mudança de deveu principalmente à redução na projeção de superávit comercial, que caiu de US$ 10 bilhões para US$ 8 bilhões este ano. Nesta segunda-feira, 24, o BC anunciou que o resultado das transações correntes registrou um déficit de US$ 7,445 bilhões em fevereiro, um recorde para o mês.

O chefe do Departamento Econômico do BC, Tulio Maciel, sustentou que o País tem indicadores externos robustos. Ele explicou também que o déficit em conta corrente de fevereiro foi inferior aos US$ 8 bilhões previstos no mês passado, na última divulgação de dados do setor externo.

Segundo Maciel, o resultado do mês ficou abaixo do previsto porque a balança comercial não reagiu como o esperado. Ele destacou também que outros indicadores apresentaram sinais de moderação.

"Temos alguns sinais de desaceleração ainda moderados em algumas contas importantes de serviços, em particular de viagens internacionais, que mostram recuo na comparação interanual. Além disso, a conta de renda também mostra uma perda de fôlego nas remessas de lucros e dividendos", explicou.

Nos dois primeiros meses do ano, o déficit em conta corrente está em US$ 19,036 bilhões, o que representa 5,45% do Produto Interno Bruto (PIB). Já no acumulado dos últimos 12 meses até fevereiro de 2014, o saldo negativo está em US$ 82,484 bilhões, o equivalente a 3,69% do PIB.

Em fevereiro, o saldo da balança comercial foi negativo em US$ 2,125 bilhões, enquanto a conta de serviços ficou negativa em US$ 3,480 bilhões. A conta de renda também ficou deficitária no mês passado em US$ 1,954 bilhão.

Investimento estrangeiro. Os Investimentos Estrangeiros Diretos (IED) somaram US$ 4,132 bilhões em fevereiro, resultado que ficou acima dos US$ 3,814 bilhões registrados no mesmo período do ano passado. Ainda assim, financiaram apenas parte do déficit das transações correntes do período.

No acumulado do ano até o mês passado, o IED soma US$ 9,230 bilhões, o equivalente a 2,64% do Produto Interno Bruto (PIB). No mesmo período do ano passado, o IED acumulado era de US$ 7,517 bilhões (2,14% o PIB). Em 12 meses até fevereiro, o IED está em US$ 65,758 bilhões, o que corresponde a 2,94% do PIB.

A projeção do BC para o IED em 2014 se manteve estável em US$ 63 bilhões, bem como a estimativa para as remessas de lucros e dividendos no ano, que segue em US$ 27 bilhões.

Fonte: oestadão