BlackFriday Brasil divide opinião do consumidor com descontos insignificantes

Preços elevados semanas antes ou descontos insignificantes, artifícios do comércio para conseguir alavancar as vendas são algumas das constatações feitas pelos consumidores e que o Procon alerta

Um dos maiores eventos de liquidação do país, que veio dos Estados Unidos, a BlackFriday Brasil, é alvo de críticas entre os piauienses. Preços elevados semanas antes ou descontos insignificantes, artifícios do comércio para conseguir alavancar as vendas são algumas das constatações feitas pelos consumidores e que o Procon alerta.

O universitário Victor Ferreira diz que não confia nos descontos. "Os preços não têm muita diferença durante a Black Friday, pois uma semana antes algumas lojas aumentam o preço, já durante a Black Friday diminuem e logo em seguida continuam com o mesmo preço", conta.

Além disso, algumas lojas usam de artifícios midiáticos para convencer os consumidores. É o que afirma um ex- vendedor, que não quis se identificar por medo de retaliações. "Já trabalhei no comércio e onde tinha desconto, a diferença era mínima.

Eles trabalham mais com anúncios para atrair atenção dos clientes, não era nada daquilo tudo que diziam. Não é como nos Estados Unidos, afirma. É nesse momento que muitas lojas divulgam desconto de 50% até 70%, porém, segundo consultores, o máximo de desconto que o país pode oferecer é de 30%, pois o varejo brasileiro não tem capacidade para isso.

Por isso os consumidores devem tomar cuidado. Nem sempre o que é tabelado pelas lojas é o preço real do produto.

Algumas lojas modificam os valores para maquiar o desconto. O Programa de Proteção e Defesa do Consumidor do Ministério Público (Procon-PI) atenta para os procedimentos de possíveis enganos."Caso o consumidor se sinta lesado, deverá trazer o comprovante da compra (boleto, fatura) ao Procon, para assim ser efetivada sua reclamação.

Ainda devem ficar atentos para aqueles produtos que ficaram baratos de repente", ressalta. A entidade também mantém uma lista com mais de 400 sites que devem ser evitados para compras, devido ao histórico de reclamações, fazendo assim sua parte para evitar que os consumidores sejam enganados. (D.V.)

Saiba como surgiu a Black Friday

A Black Friday surgiu nos Estados Unidos no ano de 2005, a principio era uma estratégia de vendas do comércio que logo se expandiu para outros países.

No Brasil, a Black Friday chegou em 2010 para lojas virtuais. Já em 2011, uma grande loja de segmento varejista inovou e foi a primeira rede a expandir para as lojas físicas.

Já em 2013, segundo a organização oficial do evento, mais de 400 varejistas mostraram interesse em obter o selo de qualidade, que só é emitido para empresas que aceitam cumprir o código de ética do evento, como a proibição de falsas ofertas.

Já no Brasil o evento acontece dia 28 de novembro e é marcado pelos grandes descontos, principalmente dos eletrônicos. É realizado todos os anos após o feriado do dia de Ação de Graças nos Estados Unidos, além disso, o evento dá início à temporada de compras de final de ano.

O evento nacional arrecadou só em 2013, durante as primeiras 12 horas, cerca de R$ 174 milhões de reais, segundo dados de empresa do Comércio eletrônico e R$ 424 milhões durante todo o dia.

E em Teresina, clientes lotaram lojas, com grande concentração de consumidores que descobriram o anúncio da mesma nas principais emissoras do estado. Por isso é uma edição importante para o comércio brasileiro, pois ele gera lucro.

Clique e curta o Portal Meio Norte no Facebook

Fonte: Daniely Viana