BNDES libera R$ 342 milhões para VW fazer o "Fusca do século 21" no Brasil; saiba mais!

BNDES libera R$ 342 milhões para VW fazer o "Fusca do século 21" no Brasil; saiba mais!

A Volkswagen usará o financiamento para fabricar localmente o Up

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) aprovou R$ 342 milhões de financiamento para a Volkswagen do Brasil desenvolver novos modelos de automóveis no país e ampliar dois projetos sociais de sua fundação, informou a instituição nesta segunda-feira (9).

A Volkswagen usará o financiamento para fabricar localmente o Up, modelo subcompacto já lançado no exterior e tido como o "Fusca do século 21" pelo tamanho, volume esperado de vendas e papel na estratégia global da Volks (que quer chegar a 2018 como maior fabricante de carros do mundo), além um sedã de médio porte.

O Up ficará situado abaixo do Gol no portfólio da Volks, mas com inovações como um motor três-cilindros (como acaba de ganhar o Renault Clio na Europa) e plataforma versátil capaz de gerar variações de duas e quatro portas, uma minivan, um esportivo (a ser batizada de GT) e, claro, uma versão elétrica -- que pode vir ao Brasil também. O pequenino foi eleito o Carro do Ano no Salão de Nova York, realizado em abril.

A verba emprestada à Volks pelo BNDES vai promover ainda a modernização de modelos que já são fabricados no Brasil. O comunicado do BNDES usa o termo facelift, típico da indústria automotiva e que designa alterações cosméticas de meio de vida de um modelo (por exemplo, mudanças na grade frontal).

No entanto, uma parte do valor pode ser usada na inclusão de equipamentos como airbags e freios com ABS (antitravamento) em toda a gama da fabricante, bem como no alinhamento de materiais dos carros nacionais aos produzidos no exterior, reforçando o caráter global dos produtos da Volks -- algo indispensável para chegar ao topo até 2018.

UPSIZING

O valor anunciado pelo BNDES parece insuficiente para erguer uma nova fábrica da Volks, como era esperado e chegou a ser especulado ao longo do primeiro semestre deste ano. Caso isso se confirme, a Volks pode apenas ampliar suas atuais instalações no ABC Paulista e no Paraná.

O "sedã médio" citado no comunicado pode ser um que surfe a onda do "upsizing" dos compactos, ou seja, carros maiores e mais espaçosos, mas sem preço muito mais alto. São exemplos disso o Chevrolet Cobalt e o Nissan Versa.

Assim, o novo sedã ocuparia um espaço entre o Polo três-volumes e o Jetta -- onde antes havia o Bora, extinto em 2011. No entanto, o novo sedã seria mais moderno, certamente com uma plataforma global. Pode até mesmo matar o Polo (produto inexistente na Europa), cuja família está atrasada em alguns anos.

SOCIAL

Dois projetos da Fundação Volkswagen também se beneficiarão da linha de crédito. O Costurando o Futuro, que já atende a vizinhos da fábrica em São Bernardo do Campo (SP), passará a oferecer oficinas de corte e costura a pessoas que moram perto da unidade de São José dos Pinhais (PR).

O projeto Aceleração da Aprendizagem, que luta contra a evasão escolar em Resende (RJ) e outras cidades, vai se estender para o Espírito Santo.

Fonte: UOL